SELEÇÕES “FEROZES FUTEBOL CLUBE” DO BRASILEIRÃO 2017

Como de praxe e sempre naquele ritmo festivo padrão Papai Noel, além daquele sentimento já nostálgico-saudosista de mais um ano que se vai em velocidade de dobra espacial, o time “Ferozes Futebol Clube” vem a público dar a cara para bater e escolher os melhores do Campeonato Brasileiro de 2017 após 38 rodadas disputadas que finalizaram a competição mais importante do futebol profissional brazuca.

Sem delongas, rodeios e devaneios, vamos ao âmago da questão e iniciemos a lista de aprovados no vestibular de cada um de nossos analistas.

Corinthians: Campeão Brasileiro de 2017
Corinthians: Campeão Brasileiro de 2017

 

João Paulo Tozo

Em formação 4-3-3:

Goleiro: Vanderlei (Santos)

Lateral direito: Edílson (Grêmio)

Zagueiro: Balbuena (Corinthians)

Zagueiro: Geromel (Grêmio)

Lateral esquerdo: Guilherme Arana (Corinthians)

Volante: Arthur (Grêmio)

Meia: Hernanes (São Paulo)

Meia: Thiago Neves (Cruzeiro)

Atacante: Bruno Henrique (Santos)

Atacante: Luan (Grêmio)

Atacante: Jô (Corinthians)

Técnico: Renato Gaúcho

Revelação: Arthur (Grêmio)

Craque: Hernanes (São Paulo)

 

Márcio Viana

Em formação 4-4-2

Goleiro: Vanderlei (Santos)

Lateral direito: Fágner (Corinthians)

Zagueiro: Balbuena (Corinthians)

Zagueiro: Geromel (Grêmio)

Lateral esquerdo: Guilherme Arana (Corinthians)

Volante: Gabriel (Corinthians)

Volante: Arthur (Grêmio)

Meia: Hernanes (São Paulo)

Meia: Thiago Neves (Cruzeiro)

Atacante: Luan (Grêmio)

Atacante: Jô (Corinthians)

Treinador: Fábio Carille

Craque do campeonato: Vanderlei (Santos)

Revelação: Zé Rafael (Bahia)

 

Felipe Oliveira

Goleiro: Cássio (Corinthians)

Lateral direito: Edílson (Grêmio)

Zagueiro: Balbuena (Corinthians)

Zagueiro: Veríssimo (Santos)

Lateral esquerdo: Guilherme Arana (Corinthians)

Volante: Gabriel (Corinthians)

Meia: Hernanes (São Paulo)

Meia: Thiago Neves (Cruzeiro)

Atacante: Bruno Henrique (Santos)

Atacante: Luan (Grêmio)

Atacante: Jô

Técnico: Fábio Carille (Corinthians)

Revelação: Arthur (Grêmio)

Craque: Hernanes (São Paulo)

 

Pedro Molina

Goleiro: Vanderlei (Santos)

Lateral direito: Fágner (Corinthians)

Lateral esquerdo: Guilherme Arana (Corinthians)

Zagueiro: Balbuena (Corinthians)

Zagueiro: Geromel (Grêmio)

Meia: Hernanes (São Paulo)

Meia: Zé Rafael (Bahia)

Meia: Thiago Neves (Cruzeiro)

Atacante: Jô (Corinthians)

Atacante: Luan (Grêmio)

Atacante: Túlio de Melo (Chapecoense: essa vai pelo gol que classificou a Chape pra Libertadores depois de uma ano em que se reergueu depois de perder elenco, comissão técnica e diretoria inteiros, pra coroar uma temporada incrível)

Revelação: Vinícius Jr. (Flamengo)

Craque: Jô (Corinthians)

Técnico: Fábio Carille

 

Almir Breviglieri Jr.

Em formação 4-4-2.

Goleiro: Cássio (Corinthians)

Lateral direito: Fágner (Corinthians)

Zagueiro: Walter Kannemann (Grêmio)

Zagueiro: Pedro Geromel (Grêmio)

Lateral esquerdo: Gulherme Arana (Corinthians)

Volante: Hudson (Cruzeiro)

Meia: Hernanes (São Paulo)

Meia: Moisés (Palmeiras)

Meia: Rodriguinho (Corinthians)

Atacante: Luan (Grêmio)

Atacante: Jô (Corinthians)

Técnico: Fábio Carille

Revelação: Arthur (Grêmio)

Craque: Hernanes (São Paulo)

 

E aí? Concordou, discordou? Mais ou menos? Comente e dê sua seleção também.

 

Após seis anos e cinco meses, Tencati encerra a sua passagem pelo Londrina

A convite do blog, o amigo e leitor Filipe de Almeida Nogueira escreveu sobre o fim da era Tencati no Londrina. 


O cargo de treinador é uma das profissões mais instáveis. E sempre que algum técnico é demitido no futebol brasileiro, o nome de Claudio Tencati vem à tona. Tencati é o mais longevo treinador entre os clubes que disputam as quatro divisões do Campeonato Brasileiro.

 

Paranaense de 43 anos e formado em educação física, Claudio Aparecido Tencati assumiu o Londrina em no dia 21 de abril de 2011. Antes do Tubarão, passou por *Cianorte, Paranavaí e Iraty. *(foi auxiliar de Caio Júnior, vítima no acidente aéreo com a Chapecoense em 2016). Em sua chegada, encontrou o time em reconstrução, após quase cair para a 3° divisão do Paraense em 2010. Também 2011, o time também passou a ser gerido pela SM Sports, que tem como presidente Sérgio Malucelli, e o empresário Juan Figer (aquele) como parceiro. Logo em seu primeiro ano Tencati foi campeão da 2° divisão do Paranense e assim colocando o Tubarão na elite estadual novamente.

 

Em 2013, foi campeão do Torneio do Interior Paranaense, dando um passo importante para o que seria um ano mágico em 2014.

 

Em 13 de abril de 2014, o LEC travou um duelo emocionante com o Maringá Futebol Clube e após o jogo ir para os pênaltis, o LEC sagrou-se *Tetracampeão Paraense, título que o time não comemorava desde 1992. *(1962, 1981, 1992, 2014). Neste mesmo ano o Tubarão disputou o campeonato brasileiro da Série D, após o empate sem gols com o Anapolina-GO, no dia 19 de outubro de 2014 o Tubarão conquistou uma vaga para à Série C.

 

Em 21 de novembro de 2015, o LEC conquistou o acesso à Série B, perdendo a final no Serra Dourada para o Vila Nova-GO, 4×2 no agregado.

 

Em 2016, o time de Tencati termina o Brasileirão da Série B em 6° lugar, 3 pontos atrás do Bahia (4° colocado e classificado para a Série A).

tencati

 

No dia 04 de Outubro de 2017, em Londrina, rolou a final da Primeira Liga frente ao Atlético Mineiro. O Estádio do Café tomado 15.735 torcedores, que ali estavam para o jogo mais importante do clube, nesses 61 anos de existência.

 

O Tubarão foi convidado para o torneio e chegou invicto na final, após eliminar Figueirense, Avaí, Paraná, Fluminense e Cruzeiro.

 

Em um jogo emocionante e decidido nos pênaltis, após empate de 0x0 no tempo normal, brilhou a estrela do goleiro César. E o Londrina Esporte Clube se tornou Campeão da Primeira Liga, vencendo o Atlético Mineiro 4-2 nos pênaltis.

 

Tencati deixa o Tubarão após uma campanha de altos e baixos na Série B 2017, onde o time está na 5° colocação, mas sem chances de acesso faltando apenas uma rodada para o fim.

 

Em reportagem para o UOL em Setembro, Tencati falou sobre os sonhos e aspirações profissionais.

 

“Eu gostaria de buscar outro estado, outra região, um Campeonato Paulista, Carioca, Mineiro, para entender o processo em outras regiões importantes.

É uma necessidade minha como profissional”

 

Claudio Tencati comandou o Londrina em 269 jogos, com 131 vitórias, 72 empates e 66 derrotas – aproveitamento de 57,62% dos pontos disputados.

DESEMPENHO COLETIVO X INDIVIDUAL

CUCA

Muitos são os paralelos entre os inícios de trabalho de Cuca junto ao Palmeiras em 2016 e 2017. No sagrado ano de 2016, em 5 jogos foram 4 derrotas, veio também na sequencia a eliminação na 1ª fase da Libertadores. Importante lembrar que na competição sulamericana o treinador pegou o time já em situação muito complicada e, ainda assim, chegou vivo a última rodada, vencendo seu jogo e sendo eliminado pela combinação de resultados.

No promissor ano de 2017 a situação quase que se repete. Em 5 partidas realizadas são 3 derrotas e apenas 2 êxitos, mas duas classificações garantidas: Libertadores e Copa do Brasil.

O que muda entre essas temporadas é a afirmação de elenco. Lá em 2016 eram muitos os jovens e promissores. Tche Tche, Mina, Vitor Hugo, Roger Guedes e a joia Gabriel Jesus. Além de jogadores já conhecidos que surpreenderam sob o comando do treinador, como Moisés.

Coube a Cuca encorpar aquela equipe e tirar de cada peça o seu melhor. Ao final do ano o título incontestável alçou essas peças a novos patamares. O investimento no elenco para 2017 foi ainda maior, a expectativa para 2017 é maior.

Do hiato de 5 meses até seu retorno, Cuca viu o Palmeiras perder a maior revelação BR desde Neymar, mas compensar a saída com contratações de muito peso: Felipe Melo, Guerra e o maior destaque do futebol sulamericano em 2016, Miguel Borja.

O futebol apresentado nesse 2017, no entanto, não retrata a expectativa e a certeza do quanto pode render esse time. São duas classificações, mas em nenhuma delas o time dá ao torcedor a segurança necessária. O próprio Cuca sente isso e vem promovendo mudanças táticas aos borbotões. Algumas delas chegam a parecer sem sentido. Ao mesmo tempo algumas insistências me fazem crer que há por parte do treinador receio em mexer em certas peças que foram fundamentais em 2016, mas que em 17 não repetem aquelas atuações, sobretudo Zé Roberto e Tche Tche.

Ontem na coletiva após o jogo contra o Inter, quando Cuca disse que “o elenco desse ano é melhor, mas o time titular perdeu qualidade com as saídas”, além de dizer que “para equilibrar essa perda técnica os que estão ai hoje precisam se desdobrar como faziam os que saíram na virada do ano”, Cuca para mim mandou um recado direto ou iniciou uma preparação para o que está por vir.  Fato é que o time não marca como marcava em 2016. E se você olhar para o ano passado não havia grandes marcadores na formação base, mas havia a dinâmica, proporcionada por aqueles jogadores e que dava ao time a condição de se reorganizar de modo a sufocar as saídas de bola adversárias. Isso não tem acontecido agora. Guerra é extraclasse na criação, mas não recompõe como Moisés. Borja sente demais a mudança de país e a diferença de velocidade do que acontece na Colômbia e agora no Brasil, sem contar que não é do mesmo gabarito de Gabriel Jesus e nem tem a mesma entrega.

Está claro que a queda no futebol de Tche Tche está atrelada a ausência do lesionado Moisés, mas Felipe Melo também não é um cão de guarda, Jean muito menos. Guerra, titular absoluto desse meio campo, não tem essa característica de recomposição defensiva. Ontem quando recuou Felipe Melo para a zaga e entrou com Tiago Santos na meia, combinado com o recado na coletiva, ficou claro que o treinador entende que será necessário achar espaço para o melhor marcador do elenco. Tiago Santos, além do gol da classificação, reduziu os espaços na criação do Inter. Poucos foram as jogadas de grande risco após sua entrada.

Deve sobrar para Tche Tche. O problema é que o ótimo meio-campo, uma das revelações de 2016, já mostrou ao longo desse ano que não lida muito bem quando mexem em seu terreno. Expos publicamente sua insatisfação com o reposicionamento feito por Eduardo Batista, por exemplo. Creio que esteja ai o receio de Cuca em promover alterações contundentes, dai o excesso de testes e o aumento no número de escolhas erradas.

Cuca não é Eduardo Batista, está ai para liderar esse time do jeito que for necessário, ele tem o peso e a ascendência que talvez nenhum outro técnico no BR pudesse ter no Palmeiras. Se as atuais peças não lhe dão a dinâmica que teve em 2016, o elenco montado para 2017 lhe dá peças para compensar isso.

 

“Maldição” de Itaquera???

Texto e foto: Raphael Prado

As brincadeiras e “memes” por conta de jogos eliminatórios são sempre saudáveis e devem sim continuar, mas o que não se pode confundir é brincadeira com informação errada e isso ser a famosa mentira repetida que vira verdade.

Vamos então esclarecer as coisas sobre os jogos decisivos e mata-mata que o Corinthians jogou em sua casa nova. Foram sim mais classificações do que eliminações, então resolvi fazer esse levantamento para que não usem dados incorretos.

Jogos de mata-matas decididos na Arena Corinthians.

2014
Corinthians 3×0 Bahia (1º Jogo)
Copa do Brasil – Terceira Fase

Corinthians 3×1 Bragantino (2º jogo)
Copa do Brasil – Oitavas de Final
CLASSIFICADO

Corinthians 2×0 Atlético-MG (1º Jogo)
Copa do Brasil – Quartas de Final

2015
Corinthians 4×0 Once Caldas (1º Jogo)
Copa Libertadores – Preliminar

Corinthians 1×0 Ponte Preta (jogo único)
Campeonato Paulista – Quartas de Final
CLASSIFICADO

Corinthians 2(5)x(6)2 Palmeiras (jogo único)
Campeonato Paulista – Quartas de Final
Eliminado

Corinthians 0x1 Guaraní (Paraguai) (2º jogo)
Copa Libertadores – Oitavas de Final
Eliminado

Corinthians 1×2 Santos (2º jogo)
Copa do Brasil – Oitavas de Final
Eliminado


2016
Corinthians 4×0 Red Bull (jogo único)
Campeonato Paulista – Quartas de Final
CLASSIFICADO

Corinthians 2(1)x(4)2 Audax (jogo único)
Campeonato Paulista – Semi de Final
Eliminado

Corinthians 2×2 Nacional-URU (2º jogo)
Copa Libertadores – Oitavas de Final
Eliminado

Corinthians 1×0 Fluminense (2º jogo)
Copa do Brasil – Oitavas de Final
CLASSIFICADO

Corinthians 2×1 Cruzeiro (1º Jogo)
Copa do Brasil – Oitavas de Final

2017
Corinthians 1×1 Luverdense (2º jogo)
Copa do Brasil – Terceira Fase
CLASSIFICADO

Corinthians 2×0 Universidad Chile (1º Jogo)
Copa Sul Americana – Primeira Fase

Corinthians 1×0 Botafogo-SP (2º jogo)
Campeonato Paulista – Quartas de Final
CLASSIFICADO

Corinthians 1(3)x(4)1 Internacional (2º jogo)
Copa do Brasil – Quarta Fase
Eliminado

Corinthians 1×1 São Paulo (2º jogo)
Campeonato Paulista – Semi Final
CLASSIFICADO

Corinthians 1×1 Ponte Preta (2º jogo)
Campeonato Paulista – Final
CAMPEÃO PAULISTA

rapha
Festa em Itaquera após o título do Campeonato Paulista (Foto: Raphael Prado)

*Raphael Prado é fotógrafo. Conheça seu trabalho em http://www.raphaelprado.com

SANTA INOCÊNCIA

Post de 2 de maio

 

Eu ainda não consegui concluir se é mais inocente quem se surpreendeu com o declarado posicionamento político do Felipe Melo ou se é o próprio Felipe Melo ao declara-lo como o fez. De cada 10 palavras proferidas em seus acalorados discursos, 6,7 envolvem a religião. FM é um religioso fervoroso, o que já o coloca dentro de um alinhamento discursivo identificado com o conservadorismo. E aqui não emito juízo de valor, OK?

Felipe Melo não é ídolo do Palmeiras. E não por ter declarado seu apoio ao Bolsonaro, mas por não ter tido sequer tempo de conquistar em campo o direito de ostentar essa alcunha.

Em campo FM tem sim conquistado um séquito de fãs por conta de suas atuações, já que é muito bom de bola, além de sua entrega incomum. Consegue dentro das quatro linhas ser um líder – mais um deles. Líder, no entanto, não significa ídolo. Ídolos no atual elenco são Fernando Prass e Dudu (pessoalmente coloco Zé Roberto também).

Mas é bizarro notar como a porrada dada em Mier na última quarta-feira alternou sua simbologia. O que era um soco na cara do racismo e da intolerância, hoje é muito mais um ato de autodefesa. A mim não convence o papo inconformado com as ofensas uruguaias e ao mesmo tempo alinhar apoio a Bolsonaro.

Ainda assim, não espero que o torcedor alviverde mude sua conduta com o jogador Felipe Melo. O canto dedicado a ele antes de cada partida deverá continuar sendo entoado, desde que FM continue também entregando em campo os 101% que entrega desde sua estreia.

Ídolos, no entanto, se constroem muito também de suas virtudes além do campo de jogo, e a mim, sendo aqui bem egoísta na análise, FM é um improvável personagem merecedor de irrestrita admiração.

SAO PAULO - SP - ESPORTES - 17/01/2017 -  O volante Felipe Melo e apresentado oficialmente apos treino do Palmeiras no CT Academia de Futebol, na Barra Funda, zona oeste de São Paulo, nesta terca-feira (17). ICARO LIMAVERDE/ESTADAO CONTEUDO
SAO PAULO – SP – ESPORTES – 17/01/2017 – O volante Felipe Melo e apresentado oficialmente apos treino do Palmeiras no CT Academia de Futebol, na Barra Funda, zona oeste de São Paulo, nesta terca-feira (17). ICARO LIMAVERDE/ESTADAO CONTEUDO

Futebol e Bons Sons!