QUANDO BRILHA A ESTRELA DE JOSÉ MOURINHO

Com gol tardio de Demba Ba, o Chelsea conquista classificação dramática para as semifinais da UEFA Champions League frente ao Paris Saint-Germain em Stamford Bridge e José Mourinho mostra à Europa toda sua competência e toda sua estrela graças aos gols anotados por jogadores provenientes do banco de reservas e promovidos à partida pelo treinador português.

 

jm2Chelsea FC 2×0 Paris Saint-Germain FC

Londres, Inglaterra

 

Sim, ele pode ser, para muitos, detentor de ar blasé, esnobe, superior, como queiram seus críticos, mas fato é que José Mário dos Santos Mourinho Félix, natural de Setúbal, conhecido pela alcunha The Special One (“O Especial”), faz a diferença no banco de reservas de qualquer equipe, até mesmo no Real Madrid onde o clima no vestiário esteve em verdadeiro pé de guerra, afinal o Madrid de Mourinho teve a indigesta missão de encarar o avassalador Barcelona de Josep Guardiola no auge e era a equipe que melhor o enfrentava entre todos os adversários.

jm1E, na última terça-feira, não foi diferente em Londres.

Sim, o Chelsea lutava contra todas as possibilidades em casa. O placar agregado indicava 1×3 para o Paris Saint-Germain construído com justiça em Paris, o elenco do time francês era melhor para muitos analistas e, de quebra, o principal jogador da equipe na temporada, o belga (sim, mais um belga bom de bola na conta) Eden Hazard, sairia da peleja lesionado.

Mas, eis que a solução surge do banco de reservas.

Primeiramente, o alemão André Schurrle. Contratado junto ao Bayer Leverkusen, Schurrle, substituto de Hazard, aproveitou bola da direita para bater e marcar aos 32 minutos. Funcionava, assim, o primeiro improviso de Mourinho.

Andre Schurrle
Andre Schurrle

Faltava um gol para os Blues alcançarem a classificação e José Mourinho arriscou tudo ao sacar o ícone meio campista Frank Lampard, que saiu com cara de poucos amigos, e promover a entrada do pouco aproveitado atacante senegalês Demba Ba.

Caras feias à parte, a recompensa para o treinador português viria aos 87 minutos de jogo quando, após chute mascado do espanhol César Azpilicuelta, Demba Ba empurra, desajeitado, para o gol de Salvatore Sirigu.

baEra a classificação que chegava em Stamford Bridge de forma dramática.

Contudo, a partida ainda deveria prosseguir e José Mourinho aproveitou a comoção dos jogadores próximos ao córner para dar verdadeiro pique e começar a passar instruções finais, afinal, dali em diante, o time deveria se defender e, com a saída de Lampard e a entrada de Ba, o meio de campo estava totalmente despovoado.

Vitória e classificação parcialmente inesperadas em Londres para os anfitriões.

Pelos lados do PSG, eis o tipo de derrota de feridas profundas que levam tempo para cicatrizar. O lado francês teve como atenuante pela eliminação a ausência de Zlatan Ibrahimovic, contundido, verdadeiro desfalque de peso. Bom somente para o brasileiro Lucas Moura que voltou a ter oportunidade com Laurent Blanc. Mas, se a dor é forte, é através dela que o jovem clube francês, nascido apenas em 1970, terá mais tarimba e sabedoria para enfrentar futuros desafios semelhantes. Resta saber se os acionistas catarianos do clube terão paciência.

 

 

BVB Borussia Dortmund 2×0 Real Madrid CF

Dortmund, Alemanha

 

Se o PSG não teve Ibra, o Real Madrid não teve Cristiano Ronaldo, pelo menos em campo, já que o técnico merengue Carlo Ancelotti fez questão de deixar o astro português no banco de reservas apesar de lesionado.

bvb 2-0 rmcfMas, o Madrid teve melhor sorte que o PSG e, apesar de 1º tempo ruim, garantiu-se na semifinal da UCL com derrota por 2×0 e vitória no placar agregado por 3×2.

Na verdade, os visitantes poderiam já ter definido a classificação aos 17 minutos de jogo quando Angel di Maria perdeu penalidade ao escorregar no arranque e bater mal para defesa de Roman Weidenfeller.

Em seguida, o festival de erros madridistas continuou com péssimos passes de Asier Illarramendi e Kléper Pepe que resultaram em dois gols de Marco Reus.

Por bons momentos da partida, o enfraquecido Dortmund tentou reeditar aquela equipe da temporada passada que atropelou o próprio Real Madrid e consagrou o técnico Jürgen Klopp, hoje tendo seu nome vinculado a especulações para dirigir outras equipes europeias na próxima temporada.

No final, classificação do Real Madrid que continua a sonhar com a décima Champions League.


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/t990olqj3thq/public_html/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 405

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *