AFGHAN WHIGS REGRAVA SUCESSO DO POLICE

A banda estadunidense de Rock Alternativo The Afghan Whigs faz cover de um dos hits do Power Trio britânico The Police. Trata-se de Every little thing she does is magic do álbum Ghost in the machine de 1981.

The Afghan Whigs
The Afghan Whigs

Banda alternativa clássica do selo Sub Pop sem ser proveniente de Seattle ou de outra parte do Noroeste dos Estados Unidos, mas sim de Cincinatti, Ohio, o Afghan Whigs atravessou fases de hiatos em sua trajetória tanto em apresentações ao vivo quanto em trabalhos em estúdio.

Entretanto, para a alegria dos fãs, os Whigs foram reformados há pouco tempo e voltaram à ativa e a mil por hora com novo álbum e tour mundial recém passada pelo Brasil.

E foi exatamente nas gravações do mais novo álbum, o bom Do to the beast, que os Whigs flertaram com o sucesso oitentista do Police.

Na verdade, fazer covers não é novidade para a banda. Basta recordar versões para The Temple de Jesus Christ Superstar, Lovecrimes  de Frank Ocean ou Like a hurricane  de Neil Young.

Na elaboração de Do to the beast, seguindo a tradição, o Afghan Whigs flertou com Every little thing, momento que seria resgatado apenas na hora da mixagem do álbum como explica o  frontman Greg Dulli: “Nós meio que fizemos uma demo dessa canção e esquecemos dela e, então, quando eu estava mixando o álbum, o engenheiro disse: ‘ei, o que é esse “Every little thing” aqui? Ele a tocou para mim e eu fiquei meio que ‘oh yeah!’ E ele ficou assim: ‘você quis manter esse vocal? Provavelmente você poderia cantá-lo melhor.’ Então eu cantei novamente em dezembro e esqueci disso de novo. Definitivamente, sou fã dessa canção e sou fã daquele álbum em particular.”

Capa do álbum "Ghost in the machine" do Police.
Capa do álbum “Ghost in the machine” do Police.

O álbum em questão é o já mencionado Ghost in the machine do Police lançado em 1981, o quarto da banda, gravado na Ilha de Montserrat, no Caribe, e em Morin Heights, Quebec, Canadá.

As novidades que o Police apresentava em Ghost in the machine eram a inclusão de sintetizadores e instrumentos de sopro nos arranjos das canções que entraram no álbum, um grande passo para um Power Trio com formação clássica baixo-guitarra-bateria. Além disso, o frontman Sting alavancava sua reputação de hitmaker de canções pop-rock (como na própria Every little thing) e mostrava sua polivalência como músico ao tocar, além dos tradicionais baixo e vocal, saxofone em diversos trechos do álbum. Tudo dentro do clima caribenho proporcionado pelas gravações em Montserrat.

The Police em Gateshead, Inglaterra, 1982.
The Police em Gateshead, Inglaterra, 1982.

Em tal atmosfera, Sting resgataria Every little thing do seu baú de composições antigas, mais precisamente dos idos de 1976, ainda no seu período pré-sucesso de professor e músico de jazz nas horas vagas em Londres.

Sobre o álbum e a canção do Police, Greg Dulli conclui: “Lembro que eu estava dirigindo no deserto com Mark McGuire, que é um guitarrista amigo meu. Ele é um cara jovem e eu mencionei algo sobre o Police e ele falou: ‘Eu nunca ouvi The Police’. Então eu pus para tocar Ghost in the machine e ele adorou. Eu acho que, provavelmente, aquele foi o momento, porque eu toquei Every little thing várias vezes… Acho que é uma canção realmente muito bem escrita que sempre teve esse tipo de tendência melancólica assustadora da qual sou fã.

Greg Dulli e seu Afghan Whigs resgataram esse sucesso dos anos 80 e adicionaram a elegância da banda à competência repleta de virtuose do Police. Confira Every little thing she does is magic em 2014 com The Afghan Whigs e em 1981 com The Police.

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=8g7TznJLd50[/youtube]

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=aENX1Sf3fgQ[/youtube]


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/t990olqj3thq/public_html/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 405

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *