Arquivo da tag: futebol

O MAIOR EXEMPLO QUE FUTEBOL PRODUZIU PARA O MUNDO

Neste mundo que nunca foi tão futebol como ontem, costumeiramente é dito sobre o simulacro de vida que o futebol representa, seja para o (muito) bem ou para o muito mal. 

No mesmo dia em que vivenciamos dois povos se tornando um e transformando em um, um mundo de pessoas que entende essa dor e produz tantas demonstrações de amor, tivemos também os shows de horrores, de desamores e da mais completa falta de empatia vindo lá de Brasília, vindo da CBF, de dirigente de clube. E se buscarmos tem mais, mas nem precisamos nos dar ao trabalho de buscar nada para saber o quão maiores foram e continuarão a ser as demonstrações de humanidade e irmandade. 

Sempre foi, mas será muito mais de agora em diante, muito mais que um esporte. 

Eu não sei o quanto o mundo sai diferente disso tudo. Mas não tenho dúvidas que para quem precisar, sai disso tudo o maior exemplo que o futebol já produziu para o mundo. 

#ForçaChape #GraciasColombia

 

chapecoense atletico nacional
chapecoense atletico nacional

Programa Ferozes Futebol Clube #66 – 11/08/2015

Ouça o programa Ferozes Futebol Clube #66, veiculado em 11/08/2015, desta vez no Mixcloud.

 

Programa Ferozes Futebol Clube n.º 66, de 11/08/2015 – Bloco 1 by Ferozesfc on Mixcloud

Programa Ferozes Futebol Clube #66 – 11/08/2015 – Bloco 2 by Ferozesfc on Mixcloud

FEROZES FUTEBOL CLUBE 66 – Bloco 3 by Ferozesfc on Mixcloud

FEROZES FUTEBOL CLUBE 66 – Bloco 4 by Ferozesfc on Mixcloud

Justo ou injusto, eis a questão!

Justiça: conceito abstrato que possui uma série de significados. Um deles, segundo o dicionário Houaiss, trata-se do “reconhecimento do mérito de alguém ou de algo”.

Trazendo tal significado para o universo futebolístico, não é incomum ouvirmos essa palavra nas discussões em relação ao futebol. O torcedor que vê o seu time perder, muitas vezes, contesta a justiça e o do placar ou do título adversário. O ganhador, quase sempre, ignora.

O fato é que: não haver justiça quando um clube conquista um campeonato, seja ele qual for, é muito improvável. Ser campeão significa dizer que o detentor da taça foi (talvez obviamente) o melhor time do campeonato. E, convenhamos, não importa se o mesmo foi o melhor tecnicamente, se fez a melhor campanha ou se marcou mais gols. O que vale mesmo é que a taça sempre estará nas mãos do melhor.

E foi justamente isso que aconteceu no mais equilibrado dos estaduais. O Estadual que, esse ano, viu os seus gigantes sucumbirem um a um em cada fase do torneio. O Estadual que coroou um clube dito pequeno, mas que, por coincidência, vem da terra das coisas gigantes. Justo?

Sim, justo! Mas e a melhor campanha do Santos, não deveria significar uma vantagem pra final? Certamente.

Contudo, a melhor campanha do Santos, que culminou em um vice campeonato, reflete e abre um parêntese para outra discussão, sobre regulamento e questões políticas daquela que administra o campeonato.  E isso não vem ao caso…

O assunto aqui é outro e o que nos cabe é simplesmente parabenizar aquele que botou o regulamento embaixo do braço, ignorou a estrutura inferior perante os grandes e se superou.  Aquele que cresceu no momento certo, fez o seu jogo (bonito ou não, mas efetivo) e mostrou um futebol de campeão, o futebol do melhor time do campeonato.

E não será o regulamento o responsável em tirar o brilho e a JUSTIÇA do título do Ituano. Afinal, o Santos teve em 180 minutos a chance de fazer a sua própria justiça, de melhor campanha do campeonato, e não foi feliz. Paciência…

Se tais coisas não acontecessem, provavelmente não seríamos loucamente apaixonados por esse tal de futebol. Um esporte tão simples e complexo, tão grato e ingrato, tão justo e injusto…

Parabéns, Ituano!
Com justiça, o grande Campeão Paulista de 2014.

o4i1943

07/09 – Cool as Fuck! com 10ª Edição FEROZES F.C. no Lebowski

A tradicional festa do FEROZES F.C., dá o tom da dualidade de dois mundos que freqüentemente são desassociados no Brasil: O futebol e a música. Diante da necessidade de unir os prazeres destes mundos, em sua 10ª edição, a festa traz os amigos e parceiros, entre eles o VOLUME 1, para celebrar com grande estilo, em uma noite com muito rock ‘n’ roll e bons drinks

LINE UP:
► VITOR BIRNER (Jornal Lance!, TV Cultura e UOL)
► MARCELO CASS – MARCELO MARR – LEINER SALINAS (Volume 1)
► JOÃO PAULO TOZO (Ferozes F.C.)

ORGANIZAÇÃO:
► KAREN BACHEGA & JULIANA MORAES

Venha para a Barra Funda, pode ser bom, pode ser legal pra caralho!

Cool as fuck! @Lebowski, 07/09 – 23h.
ENTRADA: R$ 20,00
LISTA DE DESCONTO: R$ 15 entrada ou R$30 de consumação
Envie seu nome e de seus amigos até as 20hs de sábado: [email protected]
Estacionamento em frente, ponto de táxi na porta.
Comemorações, como chegar e outras dicas no site: www.lebowskisp.com.br

FLYER FFC set 2013

DAS TERMINOLOGIAS DO FUTEBOL, DO QUE OFENDE E DO QUE É INDECENTE.

O técnico do Ituano, Roberto Fonseca, teria chamado o atacante Neymar de “macaco”, segundo o próprio jogador. Após a partida Neymar meio que retirou o que disse. Já o técnico disse que ele entendeu errado. Fato é que ficou por isso.

O ocorrido só nos serve aqui como ponto de partida para a discussão. Nada a seguir diz respeito a Neymar ou Roberto Fonseca. A não ser que lá na frente se prove que houve mesmo a ofensa.

Mas a polêmica foi criada e chegou inclusive ao grupo de discussões do Ferozes FC.

Transcrevo o que comentei nos canais FFC no facebook:

Acho que há situações e situações.

Que futebol anda muito coxinha dentro e fora de campo, não restam dúvidas. Mas da mesma forma que defendemos que o futebol é moldado e ajuda a moldar a sociedade, acho que tem que existir um cuidado especial no limitar do que é de jogo e do que é de índole.

Chamar de babaca, de “FDP” ou mandar pra “PQP”, são termos chulos. Você pode até achar o cara um babaca, mas isso é uma característica pessoal dele, não de um contexto geral do qual ele faz parte. Você não quer mesmo que o cara vá praticar o ato que o “mandou” fazer e nem mesmo acha que a mãe do sujeito é o que o termo empregado sugere.

Mas quando se usa de alguma característica física, religiosa, sexual e disso tira a argumentação de sua crítica ou ofensa, dai já acho bem perigoso.

É diferente mandar marcar “esse babaca” de mandar marcar “esse macaco”.

O Márcio Viana, também dos Canais FFC, foi além e citou a regulamentação profissional a qual está inserido o atleta de futebol.

O jogador de futebol é um profissional e deve estar adequado a isso. E olhando por esse prisma, mesmo as ofensas mais banais acabam por se tornar passíveis de punição. Ou você chama seu colega de trabalho de “FDP” e fica por isso mesmo?

O futebol vem sendo readequado dentro dos novos padrões da sociedade e isso o tem tornado menos excitante que em outrora. Não queremos que o jogador jogue mudo ou não se envolva no calor da emoção. Tem sim que se envolver e extrapolar. Mas se ao extrapolar ele mostrar sua boçalidade, então o meio deve readequá-lo. E em último caso, afastá-lo.

Antes de ser uma profissão, futebol é um esporte e mais do que qualquer outro esporte, carrega consigo os anseios de seus pares, de seus seguidores. Ele reflete tudo isso na sua prática. Torna-se espelho, mas também referencial de tudo o que é bom, mas também de muita coisa que não é tão agradável assim nas pessoas.

É importante que possamos evidenciar no esporte Rei tudo aquilo que é bom e ao mesmo tempo diminuir aquilo que é desprezível.