Arquivo da tag: Derrick Rose

Prévia NBA 2012’13 Divisão Central

NBA Spot traz para você agora as análises sobre a Divisão Central, aonde desfilaram por muitos anos jogadores dos calibres de Michael Jordan, Scottie Pippen, Joe Dumars, Isiah Thomas, Reggie Miller e LeBron James.

A curiosidade é que o Lakers já foi campeão desta divisão quando ela foi criada em 1949, quando o time ainda se chamava Minneapolis, porém, ela só durou um ano e foi extinta, voltando à ativa em 1970. O maior campeão desde então é o Detroit Pistons com nove títulos, seguido de perto pelo Chicago Bulls com oito e o Milwaukee Bucks com sete. Curiosidades à parte, vamos às análises:

Chicago Bulls: Os atuais campeões da divisão terão muitos problemas, pelo menos até a metade do campeonato. O principal astro da equipe, o armador Derrick Rose, ainda se recupera da séria contusão que sofreu nos Playoff’s da última temporada e as previsões mais otimistas indicam um possível retorno até o All-Star Game em fevereiro. O time perdeu jogadores importantes do banco (que eu considerava um dos melhores da NBA) com a saída de Ronnie Brewer, C.J. Watson, Kyle Korver e John Lucas III. A diretoria do Chicago não perdeu tempo e contratou bons jogadores, como os armadores Marco Belinelli (bom nos arremessos de três), Kirk Hinrich, que volta à equipe onde foi calouro e Nate Robinson, explosivo no ataque e inconstante na defesa. Para a ala e pivô chegaram respectivamente Vladimir Radmanovic e Nazr Mohammed. Radmanovic será uma incógnita, pois é aquele jogador sonolento que quando está acordado causa muitos problemas. Sinceramente não vejo o Bulls vencendo a divisão sem Rose, mas acredito que tem plantel suficiente para ficar na 2ª posição.

Hinrich será importante durante a ausência de Rose

Indiana Pacers: O grupo está praticamente intacto e teve um ótimo desempenho nos Playoff’s. É preciso avaliar como o time irá se portar sem o armador Darren Collison, que foi para o Dallas. Para seu lugar o Pacers trouxe D.J. Augustin (ex-Bobcats) e pela característica de jogo similar dos dois acredito que a equipe vai se adaptar bem a mudança. Leandrinho foi muito especulado como possível reforço de outras equipes, como o Lakers, e pode ser uma baixa quando vier o período de trocas em fevereiro. Se jogar bem deve ficar, pois é peça valiosa vindo do banco. Sabemos que Larry Bird tinha muita influência no vestiário com sua experiência e como membro da diretoria, mas, com sua saída, os jogadores não terão mais a figura vencedora e motivadora de Larry para os momentos difíceis. De qualquer forma, o Indiana é meu favorito para ganhar a Central.

Augustin é a aposta para substituir Darren Collison

Milwaukee Bucks: Outro time com poucas mudanças para a próxima temporada, mas que não terá nisto uma vantagem para conseguir ir longe no campeonato. A dupla explosiva na armação com Brandon Jennings e Monta Ellis promete trazer os pontos necessários no ataque. O time vai sentir dificuldade no garrafão com a saída do pivô Andrew Bogut, já que a contratação do também pivô Samuel Dalembert não traz a reposição necessária para suprir a falta do talento de Bogut. O time aproveitou o Draft e selecionou o ala/pivô John Henson e espera que sua habilidade na defesa possa ajudar a equipe no garrafão. A recontratação do ala Ersan Ilyasova foi providencial. Vejo o Bucks para brigar pela última vaga nos Playoff’s e deve ficar com a 3ª posição na divisão.

Carente no garrafão, o Bucks aposta no novato John Henson

Detroit Pistons: Se o time do Detroit apresentar o mesmo desempenho da temporada anterior será um ano somente para obter boas posições no Draft de 2013. Apesar de ter um time com bons jogadores no quinteto titular, o banco do Pistons é mediano.  A chegada do talentoso ala/armador Corey Maggette, que veio via troca do Charlotte Bobcats por Ben Gordon vai trazer mais poder de infiltração no garrafão. Como falamos de Draft, vale lembrar que o Pistons selecionou o ala/pivô Andre Drummond este ano e deposita suas fichas no novato para que ele possa formar um bom garrafão ao lado de Ben Wallace e Greg Monroe. Se ele for bem o Detroit pode até beliscar uma vaga nos Playoff’s, mas vejo o Pistons no momento sem chances.

Sai Gordon entra Maggette

Cleveland Cavaliers: A incógnita desta divisão. Sabe aquele time “chato”, com jogadores talentosos e com vontade de aparecer? É o caso do Cleveland. A equipe conta com o melhor novato da temporada passada, Kyrie Irving, e selecionou o bom armador finalizador Dion Waiters na 4ª escolha do Draft. Analisando o plantel da equipe há muito talento para a armação, principalmente após a contratação de C.J. Miles, ex-Jazz, porém, falta poder de fogo ao garrafão do Cavs. Se o pivô Tristan Thompson conseguir elevar seu jogo e atuar bem ao lado de Anderson Varejão embaixo da cesta, o Cleveland pode melhorar sua posição em relação à temporada passada, mas mesmo assim não vejo briga por vaga nos Playoff’s.

Thompson (13) precisa elevar seu jogo para ajudar Irving (2)

Continue acompanhando NBA SPOT aqui no FEROZES FC!!!

UM TIME SEM O SEU MVP.

Confesso que aguardei um pouco para comentar sobre a contusão de Derrick Rose. Queria assistir antes o segundo jogo dos Bulls para ver como a contusão do atual MVP tinha abalado o time. E minhas preocupações se constataram verdadeiras, o time todo sentiu a contusão de seu líder. O que é normal, pois afinal todo o time lhe confiava quando chegava na hora do clutch.

Como sabem, faltando pouco mais de um minuto para o final da partida Derrick Rose sofreu a contusão em uma tentativa de infiltração. O ginásio ficou completamente calado preocupado com o armador caído no chão, ninguém mais estava ligando para a partida e todos só queriam saber de Rose. Infelizmente não só para os Bulls mas para todos os fãs da NBA Derrick Rose está fora da temporada e muitos acreditam que os Bulls também.

Fiquei muito triste ao ver o talentoso armador fora da temporada e mais triste ainda ver o time completamente abalado no jogo 2 contra o Philadelphia 76ers. Olhem meu caros ferozes o que eu achava antes que os Bulls batiam fácil o 76ers já não tenho mais o mesmo otimismo. Porém ainda acredito no time de Chicago nesta primeira rodada, passam pelos 76ers, apertado mas passam. Agora já acho que os Bulls não tem time para bater Miami Heat ou talvez até Boston Celtics.

Mas afinal quem tem culpa pela essa contusão? Para mim todos! O técnico Tom Thibodeau não pode receber totalmente a culpa mas tem uma parcela sim. O jogo já estava ganho e faltava pouco menos de 1 minuto para o término; Que técnico você vê hoje em dia deixando o seu principal astro no final de um jogo ganho assim. Também o departamento médico dos Bulls, afinal Derrick Rose acabou de voltar das contusões.

Agora o que resta para o torcedor de Chicago é torcer que Derrick Rose volte ano que vem bem e com a mesma confiança. Já para este ano torcer não é o bastante, agora devem rezar mesmo.

Indiferentemente da Conferência Oeste onde não há favoritos para chegar as finais, na temporada Leste vemos um total favorecimento ao Miami Heat. Chega até ser sem emoção, por que na minha opinião o único time que podem bater eles no Leste este ano ainda é o Boston Celtics.

O que acham ferozes, será que Chicago ainda chega longe? Vamos aguardar.

See ya.

Como será que Chicago irá ficar sem o seu MVP?

@alan_rocket

NBA SPOT. Quem será o MVP.

Olá Ferozes, enquanto a janela de transferências não se fecha resolvi abordar um outro tópico. Quem será o MVP do ano? Sei que ainda é cedo e temos algum chão pela frente neste temporada regular. Mas sabemos que já temos alguns concorrentes que estão a frente no páreo. Claro que já temos uma idéia entre três ou quatro jogadores que irão ser coroados. Com isso  e misturando nossas torcidas por um determinado jogador a disputa acaba ficando mais acirrada.

O critério de escolha para o prêmio de MVP do ano baseado em votos de jornalistas e âncoras do esporte. Eles fazem parte de todo território americano e canadense, assim não dando preferência a nenhuma franquia.

Cada votante deve escolher os cinco melhores da temporada, assim o primeiro colocado recebe 10 pontos, o segundo recebe sete, o terceiro recebe cinco, o quarto recebe três e o quinto recebe um ponto. Desde 2010 fãs podem votar on-line, os votos computados agora também fazem parte da votação.

Independentemente de quem será o vencedor e não desmerecendo nenhum dos jogadores decidi escolher os meu top 5 da temporada. Tive como critério de escolha o jogador que mais pontua, melhor defensor, melhor assistente, jogador que chama mais a responsabilidade e aquele que realmente decide.

Então sem delongas segue meu top 5 em ordem alfabética:

1 – Derrick Rose – Chicago Bulls

MVP da temporada passada Derrick Rose vem sofrendo problemas físicos. Em um certo momento preocupou muito seus torcedores com um certo rumor que teria um problema crônico nas costas. Mas isso já foi desmentido, Rose voltou e está arrepiando nos jogos, sendo decisivo e mostrando também quem é um clutch. Rose está com uma média de 22.5 pontos e 8 assistências por jogo. Mesmo com esses números acredito que ele não será o MVP do ano. O porque disso? Acredito que o técnico do Bulls Tom Thibodeau deve dar a Rose menos minutos em quadra assim que o caminho ficar mais tranquilo para os playoffs. Se não fizer isso, ele é louco de arriscar a condição física de Rose antes do bicho pegar para valer.

2 – Dwight Howard – Orlando Magic

Rapaz, deixando os rumores de lado por um momento temos que assumir o seguinte. Dwight está fazendo uma ótima temporada, com 21.1 pontos e 15 rebotes por jogo tem tudo para fazer sua melhor temporada e concorrer seriamente ao prêmio MVP do ano. Isso seeeeeee, claro ele não sair de Orlando. Pois dificilmente em meio a troca de time, adaptação ao novo esquema de jogo e claro ao ódio de muitos fãs Dwight irá se consagrar como MVP. Olha quero deixar bem claro, que não quis dizer que acredito que é melhor para ele ficar em Orlando nem ao contrário, o que eu acho sobre isso é assunto para outro post rsrsrs.

3 – Kevin Durant – Oklahoma City Thunder

Ele ainda irá ganhar esse prêmio e não está longe de acontecer. As chances para serem este ano são muito grandes. Kevin vem jogando muito e irá mostrar todo seu talento nos playoffs. Com uma média de 27.9 pontos e 7.9 rebotes por jogo, Kevin Durant aos 23 anos já é um All-Star, um futuro MVP e também um futuro campeão. Seu anel não demora muito para chegar.

4 – Kobe Bryant – Los Angeles Lakers

Um jogador que aos 33 anos tem uma média de 28.8 pontos por jogo (líder da temporada) mostra muita coisa. Kobe Bryant, cinco vezes campeão da NBA, uma vez eleito o MVP da temporada regular ainda está mostrando muito serviço. E isso vem chamando muita atenção da mídia , o que lhe pode resultar em seu segundo prêmio MVP. Porém como não é segredo, o que Kobe está atrás mesmo é de seu sexto anel. E assim poder se igualar a lenda Michael Jordan.

5 – LeBron James – Miami Heat

O que pode acontecer para LeBron não levar seu terceiro MVP? Muito a mídia já especula que ele é o vencedor, porém ainda tempos muitas partidas da temporada regular pela frente. James está com uma média de 27.7 pontos e 8.4 rebotes por jogo. Em sua 9° temporada na carreira, LeBron já tem mais de 18.000 pontos marcados. Sinceramente eu não sei, acho que este ano a briga está muito acirrada, vai depender muito se Lebron aparecer nos momentos decisivos das partidas.

 

Menção Honrosa – Kevin Love – Minnesota TimberWolves

Eu sei, eu sei, minha lista seria do top five. Mas como não deixar de mencionar esse grande jogador muito esquecido pela mídia só pelo motivo de não ser tão showman como outras pessoas. Kevin Love está fazendo milagre com os TimberWolves, em seu terceiro ano como pró já tem uma média de 25.7 pontos e 13.6 rebotes por jogo. É uma máquina de double-doubles. Mesmo não ganhando o prêmio este ano eu posso afirmar com toda certeza. Kevin Love é o melhor PF disparado da NBA atualmente.

É isso ae galeritos, logo mais aparecemos por aqui para comentar as últimas do mercado. Dia 15 de Março está logo ai, muita coisa se especula mas na verdade acho mesmo que pouca irá acontecer.

See ya.

Seattle de volta?

O anúncio da possibilidade da cidade de Seattle ter novamente um time na NBA passou de certa forma despercebida pela mídia esportiva na última semana. Chegamos a noticiar aqui no NBA Spot esse rumor, e parece que o negócio pode acontecer mesmo. Se tudo der certo, é uma novidade muito bem vinda, quem acompanha a Liga há algum tempo sabe o quanto a cidade de Seattle é tradicional no basquete.

A proposta era um mistério e o homem por trás dela também, no entanto, tudo foi revelado pela NBA recentemente. O responsável pelo plano é Christopher Hansen, e o valor proposto é de U$290 milhões provindos da iniciativa privada. A intenção não é só trazer o basquete de volta, mas o hóquei também. Parte do plano envolve questões políticas e investimento público, caso semelhante à arena do Corinthians para a abertura da Copa. Seria necessário que a cidade e o distrito de Seattle aprovassem cerca de U$200 milhões cada para totalizar o custo total de U$500 milhões necessários para financiar a obra.

Seria ótimo para os fãs a volta de Seattle à NBA

 

A apresentação desta proposta foi considerada um passo primordial para o sonho se tornar realidade, afinal, a falta de uma arena moderna foi a causa da extinção do SuperSonics e a criação do Thunder na cidade de Oklahoma City, fato que encerrou uma história de 41 anos da franquia.  “Não haverá arena se não tivermos um time que a ocupe por um bom tempo”, disse Dow Constantine, uma das autoridades de Seattle envolvida no processo, mostrando uma clara preocupação com a continuidade do projeto. “Estou confiante que a proposta será analisada de forma favorável pelas duas Ligas envolvidas, e acredito que juntos iremos atingir o objetivo de assegurar a volta da NBA e da NHL para a nossa comunidade”, discursou Hansen, responsável pela proposta.  Como bom homem de negócios, ele está de olho também no problema que enfrenta a cidade de Sacramento, que precisa apresentar uma proposta para a construção de uma nova arena para não perder o direito de possuir um time na Liga, no caso, o Kings. Dependendo de como acabar a situação em Sacramento, a NBA pode acelerar o processo de aprovação para que um novo time em Seattle seja estabelecido, já que se trata de um mercado superior à Sacramento.

Durant jogou no Sonics antes da mudança para Oklahoma

 

Seria a volta do Sonics? Nada foi revelado quanto ao possível nome da nova franquia, mas seria ótimo se isso acontecesse, um time com muita história, campeão da NBA em 1979 e três vezes campeão do Oeste em 78, 79 e 1996. Vamos torcer!

Vamos falar um pouco de rumores agora. Segundo algumas fontes, Marvin Williams, ala de ligação do Atlanta Hawks, não se oporia a uma troca para outra equipe. Ele estaria insatisfeito em relação ao seu aproveitamento no esquema ofensivo do time, sua média de pontos é de apenas 9.6, situação que poderia ser diferente com uma mudança de ares. Michael Beasley interessa ao Lakers? Fontes dizem que sim. O time de Los Angeles estaria intrigado pela possibilidade de contratar o ala, atualmente no Timberwolves. Algumas conversas envolvendo este assunto aconteceram entre as equipes na época que o Lakers tentava a contratação de Chrys Paul. Muitos acreditam que a falta de evolução em seu jogo é o motivo para o Wolves ter interesse em sua troca. Beasley não é um jogador ruim, porém, muito se esperava dele por ter sido escolhido logo após Derrick Rose, MVP da Liga na última temporada que atua pelo Chicago Bulls.

Marvin de saída? Beasley para o Lakers? Rose garante Boozer no Bulls?

Por falar no time de Rose, rumores indicavam que uma troca entre Lakers e Bulls poderia acontecer, com Gasol indo para Chicago por Carlos Boozer e outro jogador que não foi revelado. Atrelada à notícia estariam informações que garantiriam o apoio de Rose para que a negociação acontecesse, o que o próprio atleta negou ter acontecido. “Eu escutei após o jogo (de segunda-feira), e isso é algo que eu jamais falaria para alguém”, disse Derrick. “Não é verdade e é algo que eu nunca faria”, disse ele. “Sinto-me bem com os companheiros que possuo, sempre digo isso. Estamos vencendo jogos e não é hora de trocar alguém no momento. Conversei com Boozer sobre isso, mas acredito que ele já sabia que o rumor não era verdadeiro”, ratificou Rose.

Os constantes rumores de trocas envolvendo Gasol gerou repercussão interna, ocasionando inclusive a intervenção de Kobe Bryant sobre o assunto. A estrela do Lakers. mostrou chateação com a situação vivida pelo pivô espanhol, e cobrou uma resolução sobre o assunto. “O basquete envolve muita emoção, você precisa se envolver na partida”, explicou Kobe. “É difícil para Pau devido a estas conversas sobre trocas e tudo mais, fica complicado para ele investir tudo que pode nos jogos escutando isso diariamente. Gostaria que a direção viesse e dissesse se irá trocá-lo ou não”, reclamou Bryant. “Eu prefiro que não o troquem, mas se eles desejam fazer algo, que fique claro”, finalizou. O gerente geral Mitch Kupchak respondeu em entrevista que nada pode ser garantido, pois ele tem a responsabilidade com a direção, fãs e jogadores de sempre procurar oportunidades para melhorar o time no campeonato atual e pelos próximos. Divergências a vista, a coisa está quente em Los Angeles!

Para finalizar, duas curiosidades sobre a sensação Jeremy Lin. Finalmente ele terá um local para dormir. Acostumado a repousar nos sofás dos colegas de equipe, Lin agora tem um apartamento alugado em Nova Iorque. O The Wall Street Journal noticiou que Jeremy assinou contrato de aluguel ontem. O valor seria de U$13.000 por mês.

Linsanity a todo vapor!

Outra notícia curiosa diz respeito à valorização de Lin no mercado. Não é segredo que o fenômeno atingiu os Estados Unidos em cheio, e tem gente lucrando com armador do Knicks. A camisa dele é a líder de vendas no momento em toda a NBA, e sua valorização é tamanha, que um card da época de novato, ainda com a camisa do Golden State, estava a venda no eBay por U$1.000, pouco antes das suas atuações que chamaram a atenção do mundo. Hoje, quem quiser adquirir este item de colecionador terá que desembolsar no mínimo U$17.000. Linsanity total!

Até a próxima Ferozes!!

Heat On Fire!

Olá caros leitores do Ferozes FC. Na nossa coluna de hoje, destaque para o Miami Heat, que mesmo sem Dwyane Wade vem embalado e segue na cola do líder Chicago Bulls, que também desfalcado vem mostrando sua força sob a tutela do técnico do ano na temporada passada, Tim Thibodeau.

Sabemos que o Miami é um ótimo time e candidatíssimo para o título deste ano, mas, o que ninguém esperava era que a equipe iria se portar tão bem sem uma de suas estrelas, Dwyane Wade, que está fora devido a uma contusão no tornozelo direito. O que mais impressiona é o recorde do time nas seis partidas que Wade esteve no departamento médico, nada mais nada menos que seis vitórias em seis jogos. Eis que surgiram alguns questionamentos, para muitos sem sentido, mas que não param de pipocar nos principais meios de comunicação da Liga. Seria o Heat melhor sem ele? Claro que na minha humilde opinião não, mas, quando se tem um ótimo jogador fora, outros precisam assumir a responsabilidade e jogador de forma mais coletiva, e, quando isso acontece, a probabilidade de sucesso é enorme.

Na última vitória sobre o Sixers, um dos melhores times do Leste, e o técnico do Philadelphia Doug Collins fez sua análise desta “nova” formação do Heat. “É um time diferente sem Wade. Eles abrem mais espaços na quadra e usam mais as bolas de três pontos”, ressaltou. Já o técnico do Heat Erik Spoelstra parece ter concordado com a análise de seu adversário. “Quando nossos arremessadores jogam abertos, abrem espaços para as penetrações de James e também acionam nosso jogo de pick-and-roll”, analisou. “E mesmo assim ainda somos capazes de irmos para a cesta e conseguirmos lances livres, algo que facilita nosso jogo”, finalizou o treinador do Miami.

O ala Lebron James também comentou o que mudou em relação ao estilo de jogo da equipe, afinal, temos visto ele muitas vezes no post-up, de costas para a cesta para atrair a dupla marcação e encontrar seus companheiros livres. “É sempre bom ter a oportunidade de ir para o um-a-um embaixo da cesta, porque temos nossos arremessadores por perto”, disse a superestrela do Heat. “Fico feliz de contar com eles para abrir espaços e usar minha força”, completou James, citando sua vantagem física de altura e peso sobre os adversários.

 

Lebron James e o Heat estão voando baixo no Leste

Mesmo com essa ótima campanha, o Miami ainda não conseguiu ultrapassar o Chicago Bulls, que tem usado a mesma receita para manter-se líder da Conferência Leste. A última vitória da equipe foi contra o Charlotte Bobcats, e o Bulls estava sem o armador MVP Derrick Rose pelo 4° jogo consecutivo (problemas no dedão do pé esquerdo), e o pivô Joakim Noah, machucado no tornozelo esquerdo. O segredo do sucesso? Algo que todo time deveria fazer, jogar em equipe, sem alarde, sem frescura, nada de espetacular, mas com eficiência e disciplina, com um incentivando o outro sem vaidades.

O discurso do ala de força Carlos Boozer mostra esse espírito. “Gostaríamos de ter o time completo, mas fizemos um ótimo trabalho assumindo a responsabilidade pelos que estão fora”, analisou. “Temos muitos jogadores que podem atuar no time. Acho que somos a equipe com mais opções na liga”, ressaltou. Richard Hamilton também deu destaque à força que recebem um do outro. “Quando alguém se machuca, torce pelos que estão na quadra”, exaltou. O técnico Tim Thibodeau mostrou que tem o time nas mãos neste momento de dificuldade. “Temos os jogadores certos”, disse ele.

“Não importa quem esteja de fora, temos o necessário para ganhar. Estes jogadores jogam um pelo outro, e para vencer”, elogiou Tibs, como é chamado pelos seus comandados.

Agora, apimentando um pouco nossa coluna, a eterna birra entre Shaquille O’neal e Dwight Howard continua. As farpas entre os dois vêm da época que jogavam, e a coisa parece não ter fim. O’neal sempre pegou no pé de Howard por usar o nome Superman, que O’neal também usava quando jogava antes da chegada de Dwight à Liga.  Esta semana, antes do jogo entre Lakers e Magic, O’neal voltou a cutucar Howard ao falar que Andrew Bynum do Lakers é o melhor pivô da NBA. Ao saber desta declaração, Dwight respondeu dizendo que Shaq deveria seguir com sua vida. “Qual é o objetivo de falar besteira? Ele ficou bravo pelo negócio do Super-Homem, eu não sabia que ele tinha criado isso. Não sabia que tinha vindo dele”, explicou. Shaquille sempre gostou de chamar a atenção, e parece não lidar bem como fato de que Howard é comparado a ele constantemente. Com certeza teremos cenas dos próximos capítulos.

 

Mesmo com a aposentadoria de Shaq, o duelo parece não ter fim

Antes de finalizar, apenas um update. O armador do Atlanta Hawks Kirk Hinrich, que perdeu os primeiros dezessete jogos da temporada, disse sábado que espera atuar na próxima viagem de cinco jogos fora de casa que o Atlanta fará.

“Espero jogar nesta viagem”, disse ele. O treinador do Hawks Larry Drew também está ansioso pelo seu retorno. “Não vejo a hora de vê-lo vestir o uniforme novamente. Entendo que esse momento está próximo, é uma boa notícia”, animou-se.

COMENTEM FEROZES! Um forte abraço e até a próxima!