“QUEM IRÁ PAGAR O PATO?”

Alexandre Pato já é jogador do Corinthians. Hoje com 23 anos, Pato surgiu como um cometa no Internacional de Porto Alagre e após poucas e exuberantes apresentações, foi alçado à condição de novo gênio do planeta pelota. Em meses estava vendido ao poderoso Milan e levava consigo a certeza descabida de que seria o melhor do mundo em poucas temporadas.

Pode não parecer, mas Pato teve cinco temporadas em Milão. O simples fato de escolher voltar ao Brasil aos 23 anos e o clube que pagou caro por ele aceitar já são motivos para causar estranhamento. Então você pondera a crise financeira do clube italiano e o estranhamento diminui, mas não desaparece. Pondera também que por lá ele recebe algo perto de 1 milhão de reais/mês, enquanto no Corinthians não deverá passar dos 400 mil/ mês e então o estranhamento ganha realmente ares de mistério.

A contratação de Pato pelo Corinthians não é técnica. Fosse o quesito técnico o foco e Pato sequer estaria numa lista de candidatos.

Nas cinco temporadas em que por lá atuou, os números do garoto não são lá grandes coisas.

Temporada 2007/08: Atuou 21 jogos dos 27 possíveis e marcou 9 gols

Temporada 2008/09: Atuou 41 jogos dos 47 possíveis e marcou 18 gols

Temporada 2009/10: Atuou 30 jogos dos 48 possíveis e marcou 14 gols

Temporada 2010/11: Atuou 32 jogos dos 50 possíveis e marcou 14 gols

Temporada 2011/12: Atuou 18 jogos dos 53 possíveis e marcou 4 gols

(números são do Jornal Metro de 02/01/13)

Não são números expressivos, sobretudo para alguém que pintou como grande promessa. E para piorar, a sua curva é descendente.

Pesa “a seu favor” suas constantes lesões. Pesa, contra o alto valor empregado em sua contratação, as constantes lesões.

Mas é exatamente aí que mora o X da questão para tanto esforço corintiano.

Campeão Brasileiro, da Libertadores e do Mundial, não é o Corinthians um time de craques. Continuará não sendo mesmo com a chegada de Pato.

Há sete meses a piada corrente era a inexistência do passaporte corintiano. Com a conquista da Libertadores a piada acabou. Com o título continental desapareceu também qualquer brincadeira com o título mundial de 2000, aquele que disputou sem ter vencido o título que lhe conferia esse direito, como sempre disseram os detratores do êxito.

Há quatro anos o clube disputava a série B nacional. Hoje é tido como um enorme exemplo de sucesso administrativo, dentro e fora de campo.

O Corinthians hoje é um grande case de sucesso.

Então não falta mais nada ao clube?

Falta torna-se também referência na recuperação de atletas. E é aí que entra a contratação de Pato, ao meu modo de entender o caso.

O Milan não é exatamente um grande exemplo de recuperação de atletas contundidos. Vide o meia Pirlo, que viveu suas ultimas temporadas ausente devido as contusões mal curadas.

Pirlo saiu do Milan e na Juventus tornou-se a grande referência do campeão italiano, enquanto o Milan entrou em grave crise.

Muitos apostam que com Pato possa acontecer o mesmo. O Corinthians, principalmente.

Se conseguir salvar as pernas de Pato e fizer com que o jogador pelo menos retome sua carreira, a missão corintiana já terá sucesso. Se, além disso, Pato conseguir enfim mostrar a bola que todos achavam que ele possuía, então o case será um retumbante sucesso.

O São Paulo passou anos trazendo grandes nomes para tratar em seu cultuado Reffis. E em meio a esses nomes, muitos ficaram no clube para atuar por uma temporada. Vide Adriano, Ricardo Oliveira, entre outros.

Com o Corinthians tornando-se uma potencia do planeta bolota, gerando receitas cada vez maiores e com um centro de recuperação de atletas de primeiro mundo, não é necessário muito raciocínio para imaginar o que pode vir a acontecer com o clube em pouco tempo.

Os rivais terão que correr muito atrás desse clube que tomou gosto pelo superlativo.

Fácil imaginar quem irá pagar o Pato.


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/t990olqj3thq/public_html/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 405

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *