O SUPERDIMENSIONAMENTO DAS COISAS POR VEZES NEGLIGÊNCIA A VERDADE.

Se você buscar o significado do termo “bajular”, verá que ele se destina a quem adula o outro ou qualquer coisa, mas com algum fim interesseiro. Ele o faz esperando ter algo em troca.

Detesto verdades absolutas. Elas desestimulam o livre raciocínio em busca da lógica. Cegam o receptor e o torna presa fácil de qualquer bajulador.

A melhor banda de todos os tempos foram os Beatles. O melhor jogador de todos os tempos foi Pelé.

Mas por quê? Baseado em quais comparativos? Quem disse isso?

A torcida mais fanática do mundo é a tal. A maior movimentação de uma torcida foi feita pela torcida tal.

Quais fatores corroboram com essas afirmações? E, o mais importante aqui, a quem interessa que essas afirmações tornem-se verdades absolutas?

Amo os Beatles, mas não é essa a minha banda número 1 da vida.

Ainda acho que Pelé é o maior de todos os tempos, mas já começo a ponderar acerca da possibilidade de Messi tomar esse posto.

O que tornam Pelé e os Beatles intocáveis e inatingíveis pela análise do mundo?

Nada, a não ser a conveniência.

E veja, não estou discordando das afirmações. Defendo apenas o direito em discuti-las.

É conveniente melindrar certas discussões, delimitar os objetos de análise.

Quem tem o maior amor do mundo sabe que a ele aquele sentimento pertence, mas não necessariamente o do meu vizinho é o mesmo maior amor do mundo. O dele é outro.

O sofrimento que você pode ter tido em certo momento da vida pode não ser grandes coisas comparado ao sofrimento de outro e o do outro não chega aos pés do seu.

O superdimensionamento das coisas por vezes negligência a verdade.

Nessa manhã onde o Corinthians fez sua vitoriosa, entretanto decepcionante (no aspecto técnico) estréia no Mundial de Clubes, todos os chavões voltaram a tona. E ainda que fossem de seu torcedor, vá lá. Mas não, eles partem de quem os informa, de quem deveria levar a eles a luz da realidade pura como ela é, não distorcida da maneira como mais lhe convém.

O corintiano deixou de ser sofredor há muitos anos. O Corinthians deixou de obter seus êxitos com penúria há tempos.

É o clube mais bem administrado do país e economicamente está se tornando uma potencia mundial. Em campo esse trabalho de bastidores surte efeito. Está no Mundial pois venceu a Libertadores de forma invicta e sem levar sustos em uma final tranquila contra o Boca Jrs.

Da mesma maneira que hoje venceu pelo placar mínimo, mostrando um futebol mínimo, diante de um adversário de qualidade mínima. Assim foi pois não jogou bem, não por ser o Corinthians um clube sofredor.  Oras, façam-me o favor.

Por que raios as notas após a vitória magra contra o pobre Al Ahly tem que frisar o “eterno sofrimento alvinegro” e não a fraca partida de um time que é sim muito competente, mas que hoje simplesmente jogou mal?

Finalizo aqui recomendando duas leituras que foram as razões por eu ter escrito o texto acima:

A 1ª do jornalista Antônio Carlos Teixeira, do Observatório da Imprensa:

http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/midia-empurra-numeros-fantasiosos

A 2ª do jornalista Mauro Cezar Pereira, dos canais ESPN:

http://espn.estadao.com.br/post/298487_os-exageros-sobre-o-corinthians-que-se-arriscou-sem-necessidade-e-o-perigo-para-o-chelsea

Abraços,


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/t990olqj3thq/public_html/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 405

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *