O JOGO SÓ TERMINA QUANDO ACABA E VICE-VERSA

O aforismo acima pode ser repleto de redundâncias e pleonasmos, mas tornou-se parte fundamental do conjunto de máximas filosóficas do futebol.

Branislav Ivanovic voa para cabecear e levar o Chelsea ao topo contra o Benfica
Branislav Ivanovic voa para cabecear e levar o Chelsea ao topo contra o Benfica

Nesta semana, o SL Benfica português descobriu a essência do mote da forma mais cruel e dolorosa possível e, não bastasse, com requintes de crueldade em dobro.

Tudo começou no último sábado no Porto, Portugal, quando os lisboetas visitaram o tradicional FC Porto no Estádio do Dragão. O Benfica liderava o Campeonato Português com dois pontos de vantagem sobre o próprio Porto.

FC Porto vence SL Benfica no final e vira campeonato português
FC Porto vence SL Benfica no final e vira campeonato português

Até que tudo começaria bem para o Benfica com o gol inicial de Rodrigo Lima aos 19 minutos de jogo. O Benfica, que desperdiçara a conquista antecipada do título na rodada anterior, começava a resolver seu problema doméstico para voltar-se para a Liga Europa.

O prenúncio da virada benfiquista para a pior veio logo a seguir com autogol de Maximiliano Pereira para os anfitriões aos 26 minutos. O cenário já não era mais ideal para o fechamento da disputa pelo título, mas, ainda assim, suficiente para deixar a equipe da capital em boas condições de levar o caneco na rodada seguinte.

O pior dos mundos para o Benfica viria com gol do jovem brasileiro de 19 anos Kelvin Mateus aos 92 minutos de jogo. Delírio no Estádio do Dragão e desespero estampado no rosto do treinador Jorge Jesus.

Agora o Porto, com boa chance de sagrar-se campeão, lidera o campeonato com 75 pontos contra 74 do Benfica.

O técnico Jorge Jesus desconsolado com os reveses ao apagar das luzes
O técnico Jorge Jesus desconsolado com os reveses ao apagar das luzes

Passados quatro dias e eis que o Benfica perfilava-se no gramado do Amsterdã Arena para definição do campeão da UEFA Europa League, o segundo principal torneio de clubes do Velho Continente, contra o Chelsea FC inglês.

Partida verdadeiramente digna de final de Champions League com os gols surgindo no 2º tempo.

Fernando Torres abriu o placar. Os ingleses buscavam se redimir do fiasco da última UCL quando caíram na fase de grupos. De positivo, o fato de atravessarem boa fase na Premier League.

Mas, apesar do abalo sísmico de grandes proporções sofrido em âmbito doméstico, o Benfica demonstrava enorme motivação em conquistar novo título continental após 51 anos de jejum com equipe fortemente baseada em talentos sul americanos.

O empate lusitano chegaria em cobrança de penalidade do paraguaio Oscar Cardozo que desabaria em seguida com câimbras.

Entretanto, dizem as melhores teorias conspiratórias existir uma espécie de maldição na vida dos Águias que atende pelo nome Béla Guttmann.

Bela Guttmann
Bela Guttmann

Guttmann foi um jogador e técnico húngaro que tinha por convicção filosófica e profissional não permanecer por longos períodos no mesmo local de trabalho. Algo que o transformou em verdadeiro andarilho do futebol.

Como jogador nos anos 20 e 30 do século passado, Guttmann destacou-se não somente em equipes locais de Hungria e Áustria, mas também na sua seleção nacional (jogou nas Olimpíadas de 1924 em Paris), bem como desenvolveu proeminente carreira atuando em equipes dos Estados Unidos.

Eusébio e Bela Guttmann
Eusébio e Bela Guttmann

Em 1932, decidiu regressar à Europa que, em breve, enfrentaria os terríveis momentos da 2ª Guerra Mundial. Tempos obscuros na biografia do já treinador Guttmann.

Nos pós-guerra, o húngaro rodaria por Romênia e novamente Hungria até chegar aos maiores centros futebolísticos mundiais.

Em 1953, Guttmann era contratado para dirigir o AC Milan, entretanto deixaria o clube rossonero de forma estranha com a equipe em boa condição na liderança da Serie A.

Bela Guttmann ao lado de Zizinho (mestre do Mester Telê Santana). Campeões paulistas em 1957 pelo São Paulo FC.
Bela Guttmann ao lado de Zizinho (mestre do Mestre Telê Santana). Campeões paulistas em 1957 pelo São Paulo FC.

Chegaria ao Brasil em 1957 onde treinou o São Paulo FC de Dino Sani, Mauro e Zizinho e venceu o Campeonato Paulista de 1957, o último do clube em 13 anos, antes do advento da Era Pelé, bem como do início da construção do Estádio do Morumbi.

Taticamente, o futebol brasileiro deve muito a Bela Guttmann que introduziu o esquema tático 4-2-4 no País, utilizado pela Seleção que sagrar-se-ia campeã do mundo em 1958 na Suécia.

Nas suas aventuras sul americanas, Guttmann dirigiria ainda o CA Peñarol em 1962.

Em 1958, o já consagrado treinador aterrissaria em terras lusitanas para conhecer o FC Porto onde seria campeão naquele ano.

Na temporada seguinte, finalmente o Benfica cruzaria o caminho profissional de Bela Guttmann.

Contratado pelo clube lisboeta, promoveu verdadeira revolução interna ao dispensar 20 jogadores veteranos e promover a ascensão de jovens talentos, entre eles, o craque luso-moçambicano Eusébio.

Como resultado, o Benfica venceria a Liga Portuguesa nas temporadas 1959-1960 e 1960-1961. Algo que não seria nada em comparação aos triunfos vindouros na Copa Europeia (antecessora da UEFA Champions League) de 1960-1961 e 1961-1962 ao bater FC Barcelona e Real Madrid CF, respectivamente.

Após a conquista de 1962, Guttmann pediu aumento salarial à diretoria benfiquista. Proposta que foi recusada pelos cartolas do clube.

Naquele momento surgiria o episódio que alimenta aquelas teorias conspiratórias mencionadas e dignas dos melhores roteiros de suspense e terror de Hollywood ou do seriado cult Arquivo X. Ao deixar o Benfica, Bela Guttmann, contrariado pelo reajuste salarial não recebido, bradou em tom revanchista: “Nem mesmo em 100 anos o Benfica vencerá uma Copa Europeia!”.

Coincidência ou não, desde o episódio do divórcio litigioso das partes, o Benfica disputou sete finais de Copas Européias (1963, 1965, 1968, 1983, 1988, 1990 e 2013) e perdeu todas!

Retornando ao dia 15 de maio de 2013, uma quarta-feira em Amsterdã, Holanda, partida decisiva da Liga Europa empatada em 1×1 e os acréscimos já eram exibidos nos relógios. Prorrogação à vista? Bem, não foi exatamente assim.

Chelsea campeão da UEFA Europa League 2012-2013
Chelsea campeão da UEFA Europa League 2012-2013

Ramires, com atuação criticada, cavou escanteio para o Chelsea. Na cobrança de Juan Mata, o sérvio Branislav Ivanovic cabeceou cruzado para o gol.

Delírio dos Blues que premia o treinador espanhol Rafa Benítez com toda pressão e rejeição que suportou no clube de Londres. Benítez deve deixar o clube inglês, mas o faz por cima com a equipe obtendo bons resultados domésticos, classificada para a próxima edição da UCL e campeã da Liga Europa.

Rafa Benítez
Rafa Benítez

Tristeza digna de compaixão espalhada por jogadores, comissão técnica e torcida do Benfica.

Dois jogos em menos de uma semana, duas derrotas dolorosíssimas e negativamente decisivas para os portugueses. Resta apenas uma vaga esperança de recuperação na última rodada do campeonato nacional.

Desolação benfiquista
Desolação benfiquista

Em tempo, em um dos reveses europeus benfiquistas, mais exatamente na final da Copa Europeia de 1990 disputada em Viena (derrota para o Milan por 1×0), o ídolo Eusébio foi à sepultura de Bela Guttmann para rezar pelo velho treinador que falecera em 1981 na mesma cidade. Reza a lenda que o craque teria pedido perdão ao húngaro em suas orações pelo não às pretensões financeiras do treinador em 1962. Parece não ter surtido efeito por ora.


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/t990olqj3thq/public_html/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 405

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *