montillo2

O GRANDE MONTILLO

 

Por João Paulo Tozo

montillo2

Ao contar a história de Montillo no futebol, adjetivos como “digno”, “integro” e “honesto” precisam necessariamente vir antes de qualquer tentativa de enquadra-lo como craque ou apenas um bom jogador. A segunda parte compete à visão e entendimento de jogo de cada um. Entender ser Montillo um sujeito raro no esporte é obrigação.

Foram seis meses de Botafogo, um punhado de jogos, nenhum gol marcado, cinco contusões e uma infinidade de exemplos que precisamos olhar com muito carinho e atenção e reproduzi-los também em nosso dia a dia.

O incomodo com suas lesões foram além da impossibilidade de ajudar o time em campo, mas também a de lesar o clube com seus altos vencimentos. A cada lesão uma tentativa de fazer com que a direção não precisasse pagar seus salários até que pudesse voltar a atuar. E o Botafogo rechaçou de prontidão todas as tentativas. Foram dignos, jogador e clube.

Sua coletiva de despedida precisa necessariamente causar comoção em qualquer um que ame o esporte e que queira ter a retidão como conduta de vida. Aos 32 anos, um jogador de alto gabarito encerrou sua carreira por entender não ter mais condições físicas de oferecer o que dele se espera e o que ele próprio sabe que poderia oferecer.

Que o futebol forme outros Montillos. E que não o perca agora por completo.

montillo


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/t990olqj3thq/public_html/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 405

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *