MESSI, DO BARCELONA, SE APRESENTA À SELEÇÃO ARGENTINA

Muito se dizia a respeito do desempenho de Lionel Messi na Seleção Argentina em comparação com as peripécias que costuma a proporcionar ao mundo no seu clube, o Barcelona.

Lionel Messi, agora destruindo na Seleção Argentina também

Os comentários e teorias eram os mais variados. Desde o suporte que o argentino recebia de seus excepcionais companheiros que serviam de sustentáculo a seu futebol no clube catalão até as contestações técnicas da capacidade real do jogador.

Parece que tais teorias foram enterradas ontem em Berna, Suíça, quando a Argentina derrotou a boa seleção local por 3×1 graças à genialidade do próprio Messi.

Atribuição que pode ser medida pelo fato de a partida ter permanecido empatada em 1×1 até aos 43 minutos do 2º tempo.

O super craque já havia inaugurado o placar aos 20 minutos de jogo e os suíços, jogando com força, empataram aos 4 minutos da 2ª etapa com Xherdan Shaqiri.

E os argentinos tiveram dificuldades jogando na casa do adversário.

Aí veio o gênio. Em jogada individual pela esquerda, Messi penetrou na área e concluiu.

No final teve tempo de ampliar com gol de pênalti.

Foi o mesmo Messi do Barça, na exibição de qualidade e no resgate de seu time quando tudo parece truncado demais.

Após a partida de ontem, o melhor do mundo soma agora 67 participações na Seleção Argentina com 22 gols e 20 assistências. Nada mal para quem vive os seus 24 anos de idade. Ademais, a seleção argentina, apesar das dificuldades, mostra potencial, já que, além de Messi, possui jogadores que se destacam bem mais no futebol europeu atual do que seus correspondentes brasileiros, por exemplo.

 

Alemanha 1×2 França

Jogando em Bremen, os alemães não contavam com exibição de gala dos franceses, sem dúvida a melhor da era Laurent Blanc, o reconstruidor da seleção de seu país pós fiasco e vexame na África do Sul.

Olivier Giroud no 1º tempo e Florent Malouda na etapa final se encarregaram de garantir a vitória francesa sobre os anfitriões, que diminuíram o revés somente nos acréscimos com gol do reserva Cacau nascido de bela jogada do ataque.

Grande resultado francês que vencia sem convencer até ontem.

 

Romênia 1×1 Uruguai

A melhor seleção sul-americana do momento foi a Bucareste para enfrentar a seleção local.

Saiu na frente com gol de Edinson Cavani, um dos pilares do ótimo time do Napoli, mas acomodou-se e permitiu que, na empolgação, os romenos empatassem com Bogdan Stancu na parte final do jogo.

De qualquer maneira, o empate de ontem significou a 14ª partida da Celeste sem derrota.

 

Inglaterra 2×3 Holanda

Sem rumo após a saída repentina de Fábio Capello do comando técnico, a Seleção Inglesa recebeu em Wembley, apenas parcialmente lotado, a forte Holanda.

Sem forçar, os visitantes fizeram dois gols em sequência com Arjen Robben e Klass-Jan Huntelaar.

Huntelaar que, no cabeceio do segundo gol, contundiu-se com certa gravidade na cabeça juntamente com seu marcador, Chris Smalling, após choque aéreo entre ambos.

O técnico tampão Stuart Pearce quase logrou êxito ao final com dois gols de Gary Cahill e Ashley Young, este graças a entrosamento dos jogadores do Manchester United na criação da jogada.

Tudo ia bem, até que o grande Robben aprontou das suas novamente ao chutar colocado já nos acréscimos.

Grande vitória dos vice-campeões do mundo.

Já na Inglaterra, a derrota de ontem pode significar portas abertas para Harry Redknapp no comando da seleção às vésperas do início da Eurocopa.

 

Itália 0x1 Estados Unidos

No resultado mais surpreendente da data FIFA em questão, os italianos perderam em Gênova para os Estados Unidos por 1×0 com gol de Clint Dempsey, jogador do Fulham.

Foi a segunda derrota consecutiva do time de Cesare Prandelli e o melhor resultado alcançado pelos estadunidenses sob comando de Jürgen Klinsmann.

 

Espanha 5×0 Venezuela

Sem contestar o favoritismo evidente dos campeões do mundo, mas esperava-se um pouco mais de equilíbrio no amistoso de Málaga entre Espanha e Venezuela.

Os motivos não eram desprezíveis. Os espanhóis não vinham bem havia algum tempo e os venezuelanos são a força emergente do futebol sul-americano.

Tudo ilusão.

Andrés Iniesta, David Silva e, principalmente, Roberto Soldado, artilheiro do Valência e hat tricker do jogo, colocaram as coisas em seus devidos lugares. Vitória fácil da Espanha em casa.


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/t990olqj3thq/public_html/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 405

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *