MESSI 200

Lionel Messi: 202 gols no Barça

Em início de rodada emblemática da UEFA Champions League, Lionel Messi não perdoa, faz seu segundo “hat trick” consecutivo e atinge a impressionante marca de 200 gols marcados com a camisa do FC Barcelona na fácil vitória da equipe catalã sobre o Viktoria Plzen por 4×0 na República Tcheca.

 E foi mais do mesmo. Só que um mesmo poucas vezes visto na história do futebol graças à fantástica equipe comandada por Josep Guardiola.

 O referido “mesmo” teve início com o adversário tentando impor respeito, forçando o jogo, marcando forte e ameaçando subverter a ordem das coisas.

 No entanto, as coisas duram até o Barça conseguir dominar a bola pela primeira vez e mostrar ao oponente a dura realidade.

 Até que desta vez o oponente em questão, o Viktoria Plzen, resistiu por mais tempo, uns 20 minutos de jogo ou o dobro de tempo que a maioria suporta.

 Toda a estratégia do técnico Pavel Vrba foi por água abaixo aos 24 minutos de jogo quando Marian Cisovsky cometeu pênalti em Lionel Messi e recebeu cartão vermelho.

 Daí em diante seria passeio em terras tchecas.

 E eis o momento simbólico da partida. Messi bate e faz seu 200º gol com a camisa do Barça.

 Messi ainda faria aos 47 minutos após rápida e tradicional troca veloz de passes do ataque catalão.

 A 2º etapa tornara-se jogo treino.

 Cesc Fábregas, que ainda provoca sentimentos de nostalgia nos fãs do Arsenal, fez o terceiro.

 Para concluir, Messi alcança seu segundo “hat trick” na semana ao marcar o quarto na partida.

 São impressionantes os números do argentino. Fora os mais de 200 gols pelo Barcelona, são 22 gols marcados na temporada em todas as competições.

 Ainda insatisfeito?

 Messi já é o segundo maior artilheiro do clube. O cidadão já superou o ex-vice-campeão no quesito, o húngaro Ladislao Kubala, que tem 194.

 Alguém duvida que não supere o maior artilheiro do clube?

 Seguramente não há dúvida. Messi está a 33 gols de Cesar Rodriguez, que jogou em terras catalãs entre 1939 e 1955.

 

Ibra lutando em Minsk

Quem falhou feio nesse grupo H foi o AC Milan.

 A equipe de Silvio Berlusconi foi a Bielorrússia e conseguiu somente empatar com o BATE Borisov.

 Jogando sob forte comoção, em virtude dos acontecimentos envolvendo Antonio Cassano (voltando de Roma, o atacante sentiu-se mal no aeroporto em Milão, foi hospitalizado e, até agora, não há nenhuma declaração oficial do clube sobre o que o acometeu), o Milan foi a campo com Kevin Prince Boateng no meio e com Robinho no ataque ao lado de Zlatan Ibrahimovic.

 E o time do técnico Massimiliano Allegri entrou com vontade de definir a fatura no 1º tempo.

 O renovado meio de campo milanista mostrava serviço com força e velocidade, alimentando o ataque.

 O gol chegou aos 22 minutos em jogada pela direita entre Ibrahimovic e Robinho com gol do sueco.

 Falando em Robinho, o brasileiro tem se revelado importante jogador de time, mas falha em fundamentos como a conclusão a gol.

 Para variar, o defeito mor do ex-santista veio à tona em Minsk ao puxar rápido contra-ataque, driblar o goleiro Aleksandr Gutor e conseguir a proeza de concluir para fora.

 Imperfeições que o impedem de ser unanimidade na Itália.

 Fato é que o Milan poderia ter liquidado a fatura no 1º tempo.

 Não o fez e sofreu o castigo na 2ª etapa quando os anfitriões voltaram melhor e chegaram a sufocar o time italiano.

 Apesar da melhora, o empate do BATE Borisov chegou através de penalidade duvidosa aos 10 minutos.

 O brasileiro Renan Bressan bateu e garantiu o empate para os locais que celebraram o resultado, já visualizando vaga na Liga Europa.

 Pior para o Milan, que acompanhava o Barcelona na classificação do grupo H sempre com a mesma pontuação. Agora terá que vencer os campeões em San Siro se quiser terminar a fase de grupos como líder. São 10 pontos para o Barça, 8 para o Milan, 2 para o BATE Borisov e só 1 para o Viktoria Plzen.

 

Roberto Soldado

O Valencia ressurgiu das cinzas no grupo E ao derrotar o Bayer Leverkusen por 3×1 em casa com gol aos 11 segundos de jogo do brasileiro Jonas.

 Stefan Kiessling empatou, recolocando os alemães de volta ao jogo, mas Roberto Soldado e Adil Rami encarregaram-se de garantir a sobrevivência dos espanhóis na Champions.

 Já na Bélgica, o Chelsea empatou com o Genk após ter a vitória nas mãos em penalidade desperdiçada por David Luiz.

 Ramirez marcou aos 26 minutos e Jelle Vossen empatou aos 16 do 2º tempo.

 

Ramires e David Luiz

Com os resultados, o grupo embolou. O Chelsea manteve-se na liderança com 8 pontos. O Bayer Leverkusen continua em segundo com 6, mas agora com a presença incômoda do Valencia com 5 pontos. O Genk tem 2 e vai tentar a Liga Europa.

 O Olympique Marseille viajou a Londres para ter sua chance de revanche contra o Arsenal após derrota em casa por 1×0 com gol sofrido no final.

 Não conseguiu, mas passou perto.

 Os franceses foram destemidos em Londres, partindo para o ataque, encurralando os anfitriões e mantendo a posse de bola na maior parte do tempo.

 

Aaron Ramsey contra o Marseille

Já Arsene Wenger inventou das suas ao deixar Robin Van Persie no banco. As fichas foram depositadas em Aaron Ramsey.

 Estratégia ineficaz. Van Persie entrou no 2º tempo sem alterar o panorama. Final sem gols.

 O empate de 0x0 entre Arsenal e Olympique Marseille no Emirates Stadium serviu para renovar as esperanças do Borussia Dortmund no grupo F.

 Os alemães receberam o Olympiakos no Signal Iduna Park de Dortmund e, jogando para mais de 65 mil pessoas, fizeram o mínimo necessário para vencer por 1×0 com gol de Kevin Grosskreutz aos 7 minutos.

 

Kevin Grosskreutz marcando contra o Olympiakos

Com os resultados, o grupo F ficou com o Arsenal na liderança com 8 pontos, o Olympique Marseille na cola com 7, o Dortmund sobe para 4 pontos e o Olympiakos fica com 3.

 Como o leitor já sabe, o grupo G é aquele com cara de Liga Europa. Pois é, as peculiaridades do grupo não param por aí. Afinal, quem apostaria no APOEL do Chipre como líder?

 Tudo porque os cipriotas fizeram 2×1 no Porto, curiosamente atual campeão da Liga Europa.

 Os gols foram brasileiros.

 Ailton de pênalti aos 42 minutos de jogo abriu o placar para o APOEL. Hulk empatou também de pênalti aos 44 minutos do 2º tempo.

 Fatura encerrada? Não foi bem assim. Graças a Gustavo Manduca (ex-Grêmio e Benfica) que desempatou em cima da hora.

 Se a aposta era no FC Porto, a surpresa é grande. Mas se a aposta também era no Shakhtar Donetsk, a surpresa aumenta exponencialmente.

 O time ucraniano viajou a São Petersburgo e perdeu para o Zenit local por 2×1 transformando em pesadelo as esperanças que alimentava.

 Tudo isso porque o Shakhtar Donetsk amarga a lanterna do grupo com apenas 2 pontos. O APOEL lidera com 8, o Zenit tem 7 e o Porto somente 4 pontos.

 Nesta quarta-feira rola o encerramento da quarta rodada da fase de grupos da UCL.

 Para encerrar, nada melhor que comemorar os 60 anos do Sr. Gordon Matthew Sumner, mais conhecido pela alcunha Sting.

 O cara consagrou-se como baixista, vocalista e compositor de uma das bandas mais legais de todos os tempos, o primeiro e único The Police.

 Na verdade, bem antes do “mainstream”, sua formação jazzística na noite inglesa o ajudou a se tornar um dos baixistas mais espertos do rock. Tudo isso com o adicional de assumir os vocais.

 Juntar-se ao baterista Stewart Copeland e ao guitarrista Andy Summers fez do Police uma autêntica revisita new wave das bandas power trio clássicas como o The Cream.

 Para encerrar, nada melhor que curtir o primeiro hit policial com a assinatura do aniversariante Sting: Roxanne, do álbum Outlandos d’amour de 1978 em versão ao vivo nos Estados Unidos em 1986.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=4ks9oxNf3x0[/youtube]


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/t990olqj3thq/public_html/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 405

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *