Dentinho é o novo Gil?

Primeiramente uma constatação: já faz algum tempo que um jogador das categorias de base não faz sucesso no time titular do Corinthians. Especialmente um atacante. O último foi Dentinho. Posto isso, vamos aos dados.

"Melhor lado esquerdo do mundo"?

 

Gilberto Ribeiro Gonçalves, 30 anos, conhecido como Gil, é um atacante revelado pelo Corinthians, que teve seu auge no ano de 2002, no time comandado por Carlos Alberto Parreira. À época, o treinador definiu o trio formado pelo atacante Gil, o lateral Kleber e o meia Ricardinho como “o melhor lado esquerdo do mundo”. Desde então, Gil parecia ser intocável no time titular, fosse qual fosse o técnico ou os companheiros de equipe. Foi assim até 2005, quando da chegada de Kia Joorabchian e sua MSI, que trouxe alguns jogadores e muita dor de cabeça para o Corinthians. Entre estes jogadores, o principal foi o argentino Carlitos Tevez, que rapidamente ganhou a vaga de Gil no time. Some-se a isso o fato de Gil ter sido o único a não receber propostas de times do exterior no período em que permaneceu no Corinthians. Teria isto mexido com a cabeça do jogador, que parecia não se ajustar ao time, chegando a ser improvisado no meio de campo em algumas partidas? Talvez até os próprios treinadores que passaram pelo clube neste período não tenham sabido aproveitá-lo da maneira correta. Desde então, Gil perambulou por times de pequena expressão do Japão e da Europa, passou por Cruzeiro, Internacional, Botafogo e Flamengo, sem conseguir alcançar o sucesso que teve em sua passagem pelo Timão. Atualmente está sem clube.

Dentinho está amando.

Corte para a atualidade. Bruno Ferreira Bonfim, 22 anos, conhecido pelo apelido de Dentinho, é um atacante revelado também pelo Corinthians, justamente em uma fase complicada do time, época da queda para a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro. A grande promessa daquele time era seu companheiro, o meia Lulinha, que não teve de verdade o sucesso prometido pelo empresário Wagner Ribeiro, que é mestre em rotular jovens jogadores, nem sempre de forma coerente. Mas isso não vem ao caso. Fato é que Dentinho se sobressaiu e virou intocável no ataque, mesmo com a chegada de Jorge Henrique, e principalmente, Ronaldo Fenômeno. Este último foi inclusive o principal incentivador de Dentinho, a quem chama de “filho”. Mas Ronaldo parou de jogar em 2011. Estaria o garoto sentindo falta de seu “pai”, ou melhor, de uma referência em quem se espelhar? O atual companheiro de ataque, Liedson, é discreto, e não parece exercer este papel de norteador. A outra contratação do Corinthians para o ataque, Adriano, além de ser uma ameaça justamente para o lugar de Dentinho, não tem perfil de alguém que possa ser um exemplo, muito pelo contrário. De qualquer forma, mesmo que tivesse, se lesionou e só estréia no segundo semestre, como sabemos.

Em 2011, Dentinho estreou nos cinemas, fazendo uma ponta no filme “Bruna Surfistinha”, e logo em seguida engatou um namoro com Dani Souza, conhecida como a Mulher-Samambaia e ex-participante de reality-show. Por conta disso, freqüentou alguns programas de variedades da televisão. E o futebol? Bem, Dentinho está longe da média de 2008 e 2009. No último jogo, contra o Oeste de Itápolis, sentiu náuseas e pediu para sair, sendo substituído por Willian, que brilhou e foi autor do gol da vitória, que levou o Corinthians à semifinal do Paulistão.

Isto posto, é curioso constatar a existência de jogadores que só dão certo no time de origem, como foi o caso do Gil. Mas Dentinho é jovem, tem muito talento, embora ainda não tenha despertado o interesse real de grandes times do exterior. Resta saber se ainda está em tempo de uma grande transferência. Ou – caso permaneça – se retornará a fazer boas atuações. Esperemos.

***

 

Sobre o último jogo: o time do Oeste não chegou a assustar, mas é notório como o Corinthians tem dificuldade para superar mesmo adversários de baixa qualidade técnica. Bruno César, já de malas prontas para Portugal, parece ser o mais lúcido no meio de campo corintiano, mas não chega a brilhar. O outrora disciplinado Jorge Henrique parece ter absorvido um certo nervosismo, característico da equipe nos últimos tempos. E Tite parece desinteressado, distante. Enfim, não parece um time obstinado. Como em clássicos tudo pode acontecer, veremos como o Corinthians se comportará diante do arquirrival.

***

 

Por fim, como trilha sonora para as dúvidas que lancei, indico o recente projeto do mutante Sérgio Dias junto ao francês Tahiti Boy, intitulado “The Lilies”. Nesta música, “Why?”, eles têm como convidado Iggy Pop, que berra como um juvenil. Haja vitalidade!

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=2dcE-Y4wnO0[/youtube]


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/t990olqj3thq/public_html/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 405

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *