cruzeiro_wagnercarmo1_vip

QUEM PAGARÁ A CONTA?

As semifinais da Copa do Brasil colocaram os dois melhores time do Brasil no caminho de duas camisas igualmente tradicionais, mas que não vivem seu melhor momento.

O time a ser batido em 2014 enfrentou um irregular, porém esforçado, Santos, que dentro das suas infinitas limitações precisava reverter uma vantagem simples de 1×0 conquistado no Mineirão.

A Vila Belmiro foi  o palco escolhido para virada. Haverá contestações de muitos em relação ao fato de não ser o Pacaembu o escolhido para um jogo dessa dimensão, mas é na Vila que o Santos se sente em casa e assim foi feito.

12 mil vozes e a pressão corriqueira do estádio fizeram com que a vantagem de 1×0 sucumbisse em apenas 1 minuto, Robinho abriu o placar e incendiou a partida.

Contudo, foi justamente o gol que escancarou as realidades dos times e do jogo. O Cruzeiro, líder do certame nacional, experiente e “cascudo” não sentiu o gol inicial e foi cirúrgico para empatar. Na primeira descida, 1×1 e um balde de água fria no Santos.

cruzeiro_wagnercarmo1_vip

Como se não bastasse a chuva e o gramado pesado, os garotos do Santos sentiram a pressão e a dificuldade da decisão. Caberia aos “medalhões” chamarem a responsabilidade, mas também não foram capazes disso diante da calma e precisão do Cruzeiro.

O 3×1 necessário até foi construído. Aos “trancos e barrancos” e na superação, o Santos alcançou o resultado necessário para chegar à final, mas era muito cedo. O Cruzeiro tinha muito tempo para anotar 1 tento e o Santos tinha pouca perna para impedir.

Prevaleceu mais uma vez a eficiência e a experiência e o 3×3 era inevitável. O torcedor não enxergava isso, mas a cada substituição, o gol do Cruzeiro se aproximava e carregado pelos braços da torcida, a resistência do time durou até os 35min do 2° tempo.  Momento chave, o momento da eliminação e o anúncio do fim da temporada do Santos.

O alvinegro encerra mais uma temporada sem títulos, sem vaga na Libertadores e sem previsões otimistas de futuro.

Os 90 minutos diante do Cruzeiro foram suficientes para não salvar 2014 e comprometer 2015. O clube vive uma crise “invisível” e deve fechar o ano novamente deficitário.

O que se sabe é que a Diretoria será renovada, muitos jogadores sairão, mas o saldo das decepções e da péssima gestão dos últimos dois anos fica a cargo de quem?

Afinal, quem pagará a conta?

4 ideias sobre “QUEM PAGARÁ A CONTA?”

  1. A principal qualidade do Santos é servir de berço para um monte e garotos que sempre quer mais, por isso tanta fome de bola.. essa garotada tem ambições que para controlar o clube necessita ter jogo de cintura.

    O Santos possui potencial para encontrar jogadores e de mante-los como foi o caso do “fico” do Neymar. Porém o periodo de má administração que atrasou o fechamento de um patrocinio master, bem como a contratação descabida do Damião, demonstrou que dentro do Santos a administração não pensa em sustentabilidade.

    E mesmo com garotos velozes, ofensivos e inteligentes pra conseguir meter 3 gols num time tão consistente que é o do Cruzeiro, amarga posições mediocres.

    Tivemos uma linda epoca quando Laor teve curtos espamos de inteligencia, agora temos que esperar mais eventos desse tipo, para poder sonhar em todos os titulos que esse time merece.

  2. Gostei do seu texto. O Santos precisa rever os conceitos, principalmente de jogar jogos desta envergadura na vila belmiro para 11 mil pessoas! Que arrende o Pacaembu e busque reformas para o mesmo. O Santos merece muito mais!!! Aquele Abraço!

  3. O Santos não reeditou suas boas jornadas e sucumbiu diante de um time forte e organizado.2015 será um novo tempo, apesar dos estragos de 2014.
    O Santos continua sendo um dos maiores times do Brasil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *