Oportunidades "Fenomenais"

Corinthians vislumbra internacionalização e lucros com chegada de Ronaldo. O diretor de marketing do clube, Luís Paulo Rosenberg, diz que serão lançados bonecos do jogador

André Lucena


Com a contratação de Ronaldo Nazário, o “Fenômeno”, o Corinthians pretende aproveitar a imagem do jogador, licenciar bonecos, lançar uma linha de vestuário com o nome Ronaldo e atrair patrocinadores para o uniforme da equipe, além de internacionalizar o clube com amistosos e venda de camisas no exterior.

Luís Paulo Rosenberg, vice-presidente de marketing do Corinthians, afirma que a decisão de contratar Ronaldo partiu da comissão técnica de futebol e não do marketing do clube. “É engraçado que a imprensa transformou a contratação do Ronaldo em uma jogada de marketing do Corinthians”, diz Rosenberg.

No contrato de um ano, Ronaldo receberá um salário fixo, além de angariar uma porcentagem sobre alguns dos produtos que serão comercializados pelo Corinthians. Rosenberg conta que o salário fixo do jogador será pago com o dinheiro proveniente do aumento de público nas partidas do time. “O Ronaldo vai atrair os torcedores e o Corinthians vai aumentar o preço de seu ingresso para pagá-lo, sendo que ainda vai sobrar dinheiro para o clube”, afirma.

A visibilidade gerada pelo jogador, hoje com 32 anos, fará com que o Corinthians “loteie” outros espaços do uniforme, afora o peito e as costas da camiseta alvinegra. “Venderemos patrocínios para nossos calções e mangas das camisetas”, antecipa Rosenberg. Ele também confirma que o clube licenciará bonecos, lançará uma linha de vestuário com o nome de Ronaldo e “internacionalizará a marca Corinthians com amistosos e venda de camisas no exterior”.

Depois da Medial Saúde não renovar o contrato de patrocínio, que rendeu R$ 17 milhões totalizando as ativações e a premiação da Medial pelo título da Série B em 2008 – conforme noticiou o M&M Online -, o Corinthians negocia com seis empresas interessadas. “O fato de ter o Ronaldo atiça os patrocinadores. Se antes de contratá-lo estávamos conversando com três empresas, agora já são seis. Mas ainda estamos longe de um acordo”, revela Rosenberg.

Em sua opinião, não há como mensurar o retorno que a imagem de Ronaldo vai gerar ao Corinthians. “Quem no mundo consegue prever o comportamento da Fiel?”, indaga.

Com contrato de um ano, não há certeza se as partes renovarão o vínculo para que Ronaldo atue pelo Corinthians em 2010, ano do centenário do clube. “O contrato é cheio de incógnitas e incertezas. Se fechássemos um contrato de dois anos, certamente uma das partes perderia, porque 2010 pode ser melhor ou pior do que somos capazes de prever hoje. Vamos fazer o que é justo, chegando em 2010 a gente senta e vê como está o mundo, o Corinthians e o Ronaldo”, esclarece Rosenberg.

Para o vice-presidente de marketing do Corinthians, a chegada de Ronaldo vai aumentar a auto-estima da torcida corintiana. “A torcida é a mercadoria fundamental do marketing. Com a aproximação que será gerada pelo Ronaldo, os torcedores olharão com mais simpatia os produtos que o clube lançar”, aponta.

“Este ‘auê’ que fizeram sobre a contratação também faz com que os departamentos de propaganda e marketing das empresas olhem o Corinthians com mais respeito”, completa Rosenberg, afirmando já existir procura da camisa do clube nas lojas da Nike em Londres.

Fonte: Meio-Mensagem online
———

Fifa vende direitos da Copa-2010 por R$ 8,4 bilhões

Coca-Cola, McDonald’s e Visa, entre outros patrocinadores, compram direitos comerciais da Copa de 2010 por R$ 8,4 bilhões; aumento é de 30% em relação à Copa-06 na Alemanha.

André Lucena

A Fifa, entidade organizadora do futebol mundial, acaba de concluir a venda dos direitos comerciais relativos a Copa do Mundo da África do Sul 2010. De acordo com o site português Futebol Finance, o delegado geral da Fifa, Jerome Valcke, afirma que a totalidade dos direitos foi vendida por 2,6 bilhões de euros (R$ 8,4 bilhões). O valor significa um aumento de 30% em comparação com a Copa do Mundo da Alemanha em 2006.

Entre os patrocinadores estão marcas como a Coca-Cola, McDonald’s e Visa. Ao contrário do que se comentava, nenhum dos habituais patrocinadores reduziu o valor dos seus investimentos. Os direitos comerciais negociados pela Fifa incluem patrocínios, direitos televisivos e móveis.

O Futebol Finance destaca que a venda dos direitos televisivos manteve-se como a principal fonte de receitas comerciais da Copa e gera mais de 1,5 bilhões de euros. Na previsão da Copa de 2014, que será disputada no Brasil, Valcke acredita que a competição venha a gerar cerca de 2,9 bilhões de euros (R$ 9,1 bilhões) em direitos comerciais.

Fonte: Meio-Mensagem online


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/t990olqj3thq/public_html/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 405

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *