O GIGANTE DORMIU

Eu sempre digo que alguns clichês são inevitáveis. Dizer que o time do Corinthians “apagou” contra o Santos pode ser considerado um clichê? Bem, então sejamos óbvios: foi o que ocorreu e o que vem ocorrendo frequentemente desde o início do ano (exceção para a Recopa, talvez).

Só um dos times jogou com vontade o clássico. O empate saiu barato para o Corinthians.
Só um dos times jogou com vontade o clássico. O empate saiu barato para o Corinthians.

Muito se falou nas últimas semanas sobre a vexaminosa derrota do Santos para o Barcelona, sobre a fase complicada que vive o São Paulo. É fato que o Corinthians não vive crise, mas dá pra dizer que as coisas vão bem? Entendo que não. Senão vejamos: a despeito da saída de Chicão, um dos símbolos da segurança na zaga, mas que vinha ficando no banco há tempos, o time não tem tomado gols, isso porque a dupla Paulo André e Gil vem se comportando muito bem taticamente e tecnicamente. No entanto, o time também pouco produz lá na frente, sendo que o gol no clássico foi marcado justo por um zagueiro, Paulo André (que curiosamente foi expulso junto com Willian José, também autor do gol que definiu o empate da partida). O meio de campo capenga por conta de um esquema ainda estranho. Especialmente porque funcionava com um jogador diferente. Basta verificar que Danilo não vem sendo decisivo como era, talvez por ser o único responsável pela articulação das jogadas. Guerrero, isolado na frente, faz bem o papel de pivô, mas pouco recebe bola para tentar algo. Romarinho erra muitos passes. Renato Augusto, esse que a gente cobra que seja titular absoluto, pela habilidade que tem, sofre por ser ‘de vidro’. Vive atormentado por lesões e não se firma. Douglas, reserva de Danilo, não equilibra atuações, indo bem em algumas vezes e muito mal em outras. Ibson até o momento não comprometeu, mas também nada fez. Pato? Talvez lhe faltem oportunidades, mas também me parece lhe faltar um pouco mais de interesse.

Diante disso, o Corinthians, caso ainda tenha a ambição de vencer o Campeonato Brasileiro, precisa repensar o esquema utilizado, precisa retomar o espírito de luta. Contra o Santos, embora tenha aberto o placar, o time todo se desinteressou muito rápido pelo jogo, errou quando não podia errar e ainda viu um adversário com muito mais desse espírito ao qual estávamos acostumados a ver conosco nos últimos tempos.

Digo mais: quando é que vai cair a ficha de que não somos tão mais fortes do que o time que perdeu de 8 a 0 para o Barcelona?

Santos-x-Corinthians-Gols


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/t990olqj3thq/public_html/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 405

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *