LIGA EUROPA PARA O ATLETICO MADRID E O CONTRASTE DE SENTIMENTOS DA FINAL

O Atletico Madrid é o campeão da UEFA Europa League, o segundo torneio de clubes do Velho Continente em importância, com atuação decisiva do colombiano Radamel Falcao, que fez dois gols da vitória por 3×0 sobre o Athletic Bilbao, em Bucareste, Romênia.

Alegria de um lado e desolação do outro

Se os espanhóis fracassaram em alcançar a final da Champions League, ao menos conseguiram fazer a final da Liga Europa. Madrilenhos e bascos estavam lá, na Arena Nationala de Bucareste, perfilados para a grande final.

E não era somente a Espanha com presença maciça na final. Ambas as equipes contam com treinadores argentinos em seus quadros técnicos. No Madrid, o consagrado ex-atleta Diego Simeone que tem trazido força ao time da capital espanhola. Já no Bilbao, Marcelo Bielsa, ex-técnico da seleção de seu país, chegou para trazer maior refinamento no futebol dos bascos.

Mas era dia dos comandados de Diego Simeone, que começaram a definir o título logo aos 7 minutos de jogo em belo gol de Falcao em chute colocado e angulado.

O Bilbao repetia o que fizera em toda a temporada ao impor toque de bola na criação e desenvolvimento de suas jogadas.

A demonstração de dia de fortuna para o Atletico teve prosseguimento aos 34 minutos quando Arda Turan anula saída de bola do adversário ao roubá-la e servir Falcao, o colombiano aplicou corte nos zagueiros e bateu para ampliar.

Na 2ª etapa, o que se viu foi enorme esforço e superação do time basco na sua tentativa de buscar o resultado adverso. Várias foram as chances de gol, mas, ora o goleiro Thibaut Courtois fazia grandes defesas, ora a trave fazia o papel de goleiro e ora a defesa do time de Madri abafava. Definitivamente, não era dia do time de Bielsa.

O golpe de misericórdia nas pretensões do Athletic veio através dos pés de Diego Ribas em contra-ataque fatal. O ex-santista deixou dois zagueiros para trás e bateu para finalizar os 3×0. Atletico Madrid campeão da UEFA Europa League.

Atmosfera emocional em Bucareste com o contraste escancarado no gramado e na arquibancada.

De um lado, a joia da alegria dos jogadores e comissão técnica do Atletico Madrid com especial destaque ao jovem treinador Diego Simeone que mostra ter competência e espírito de campeão.

Do outro, a dor e frustração da derrota. Afinal, o que talvez fosse pouco para uns (e foi, de fato, como, por exemplo, para a dupla de Manchester que não deu a devida importância ao torneio após eliminações na UCL), significava muito para outros, como o Athletic Bilbao. Equipe de pequena para média do País Basco, que admite apenas jogadores oriundos da região em seus quadros, vencer um torneio europeu seria a glória.

Mas veio a derrota. E com a derrota a tristeza, a dor, a amargura.

Espírito de luta não faltou, o Bilbao até merecia melhor sorte no placar. Bielsa, apesar dos apelidos portenhos de El loco, é sujeito sério, conhecedor do futebol e articulador de boas equipes de futebol.

Os 3×0 finais expuseram o contraste da alegria e da tristeza. Não que seja inédito no esporte.  Nada disso, obviamente. Mas, o que mais chamou a atenção talvez tenha sido o fato de o derrotado em questão ter sido alguém que lutou, e muito, para vencer.

O comportamento antagônico e natural em tal circunstância, o do vencedor e aquele do derrotado, talvez seja um grande retrato da vida. Afinal, no modo, por vezes perverso, de vida que as sociedades criaram, para alguém vencer, outros tantos perderam, foram deixados para trás, tiveram seus sonhos alijados, claro, por diversas razões.

Mais uma vez o futebol representa uma faceta da vida, um aspecto da sociedade, uma pintura de todos os nossos sonhos que, por vezes, transformam-se em pesadelo na jornada humana por este planeta.

 


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/t990olqj3thq/public_html/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 405

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *