A CHAMPIONS LEAGUE DE HEYNCKES E ROBBEN

Mais que a final alemã ou a consagração do FC Bayern em Wembley no último sábado, a partida final da UEFA Champions League 2012-2013 representou verdadeira redenção para dois personagens da decisão: o treinador Jupp Heynckes e o jogador holandês Arjen Robben.

Jupp Heynckes e Arjen Robben
Jupp Heynckes e Arjen Robben

Quando, em janeiro último, o Bayern anunciou a contratação de Josep Guardiola para o comando técnico do clube a partir da temporada 2013-2014, houve, quase de modo simultâneo, verdadeira prontidão em anunciar que Jupp Heynckes estava por aposentar-se. Assim, justificava-se a troca de comando de modo a acomodar egos mais sensíveis.

Contudo, a história não pareceu ser conforme contada de forma oficial em muitos momentos pós-anúncio.

Jupp Heynckes
Jupp Heynckes

Sempre houve certo descontentamento por parte de Heynckes com a situação. A sensação era de que o treinador estava sendo educadamente convidado a se retirar, verdadeiro eufemismo para a velha e dolorida demissão, o próprio desprezo em favor do badalado Guardiola.

Mas eis que o Bayern de Jupp Heynckes da atual temporada às vésperas de seu epílogo, mostrou-se mais forte e ousado que na temporada anterior, quando perdeu o título da Bundesliga para o próprio Borussia Dortmund, adversário derrotado na final europeia do último sábado, e, ainda mais tragicamente, deixou escapar pelas mãos a própria Champions League em casa para o Chelsea.

Desta vez, o que se tem visto é um Bayern campeão nacional com 20 pontos de vantagem sobre o maior concorrente, mais uma vez o Dortmund, campeão europeu de forma brilhante ao eliminar adversários de peso tais como Juventus e Barcelona com total autoridade na sua trajetória rumo a Londres e, de quebra, na iminência de faturar também a Copa da Alemanha contra o Stuttgart, fechando a sonhada Tríplice Coroa.

Talvez aí esteja a grande vingança de Heynckes, caso não se confirme a anunciada aposentadoria. Passar o bastão para o sucessor com o time no topo, tornando a missão de Josep Guardiola mais difícil que o esperado, afinal, já diz o velho ditado popular que mais difícil que chegar ao topo é manter-se por lá. Tudo que Guardiola fizer que terminar em resultados inferiores aos atuais será o suficiente para comparações negativas frente ao antecessor.

Arjen Robben na final da Copa do Mundo defendendo sua Holanda contra a Espanha
Arjen Robben na final da Copa do Mundo defendendo sua Holanda contra a Espanha

Outro remido na final da UCL de Londres é o holandês Arjen Robben. Não à toa que o craque comemorou com toda emoção o gol definitivo do Bayern ao apagar das luzes do tempo regulamentar em Wembley, verdadeiro gol do título.

Basta recordar os reveses recentes que Robben sofreu na carreira, estigmatizando-o de forma injusta no mundo da bola.

Na Copa do Mundo de 2010 na África do Sul, a Holanda de Robben foi derrotada na grande final do Mundial ao levar gol de Andres Iniesta aos 117 minutos de jogo, a 3 do final da prorrogação. Duro golpe para quem havia atravessado difícil percurso até a final.

Robben e seu Bayern contra a Internazionale em Madri
Robben e seu Bayern contra a Internazionale em Madri

No Bayern, a coleção de fracassos na reta final era maior.

No mesmo ano de 2010, a equipe bávara comandada por Louis Van Gaal partia para a final da UEFA Champions League em Madri contra a Internazionale do treinador José Mourinho que havia conseguido bater a equipe nova sensação do momento: o Barcelona de Josep Guardiola e do fantástico Lionel Messi. E lá estava Arjen Robben, mas lá estava também Diego Milito que marcaria duas vezes e selaria os 2×0 finais. Novo insucesso para Robben.

A falsa sensação de sucesso do bayern de Robben frente ao Chelsea
A falsa sensação de sucesso do Bayern de Robben frente ao Chelsea

Mas, os contratempos na vida nunca estão sozinhos e eis que no ano de 2012 o Bayern teria a raríssima chance de disputar uma final de UCL em casa, na Allianz Arena de Munique. O adversário era o limitado Chelsea de Roberto Di Matteo que quase havia sido eliminado pelo Napoli na competição antes da demissão de André Villas Boas.

Chance obtida, chance desperdiçada. Após gol aos 83 minutos de jogo anotado por Thomas Muller e empate de Didier Drogba aos 88, as equipes foram para as penalidades com êxito inglês. Novo drama para o já verberado Robben.

Arjen Robben: consagração total contra o Dortmund
Arjen Robben: consagração total contra o Dortmund

Para sorte do neeerlandês, o mundo dá voltas… pelo menos ele deu suas voltas para o contestado craque e o destino lhe reservou a glória dos deuses no palco londrino de Wembley, e com requintes de emoção, já que o gol do título surgiria aos 89 minutos de jogo.

fcb 2-1 bvb 5

Bayern conquista o título europeu pela 5ª vez
Bayern conquista o título europeu pela 5ª vez

Reviravolta positiva para Arjen Robben. Não por acaso tamanha comoção na celebração do gol final.


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/t990olqj3thq/public_html/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 405

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *